O desktop Linux está realmente morrendo?

O desktop Linux está realmente morrendo?

Miguel de Icaza, um dos fundadores do projeto GNOME, escreveu um post em seu blog pessoal com o título “What Killed the Linux Desktop“, ou “O que matou o desktop Linux“.

Miguel de Icaza

A razão de tudo, segundo Icaza, seria a própria cultura do Linux. Em seu texto ele responsabiliza Linus Torvalds por ter inspirado na comunidade uma cultura de não dar importância à retrocompatibilidade com dispositivos e programas a cada nova versão lançada de seus programas, em nome da inovação.

Agravando a questão da compatibilidade, estaria o fato de que cada distribuição Linux escolhe seu próprio conjunto de componentes principais do sistema. Estes, para ele, seriam os dois principais motivos que dificultam o suporte proprietário, resultando na marginalização do sistema.

Linus Torvalds

Segundo Miguel de Icaza, a culpa da morte do Linux no desktop é do cara boa pinta da imagem acima

Enquanto isso, afirma Icaza, o OSX, sistema operacional da Apple, foi se desenvolvendo e eliminando seus problemas iniciais, tornando-se uma opção Unix mais atraente aos desenvolvedores. Ele próprio afirma ter se apaixonado pelo iPhone e que, por isto, usar um Mac teria se tornado uma necessidade. Por consequência, o futuro do Linux estaria comprometido pela perda de seus desenvolvedores para a web e para o OSX.

Um link para esse texto acabou sendo postado pelo engenheiro de software da Intel, Sriram Ramkrishna, no Google+, onde recebeu resposta de pesos pesados do kernel, como Alan Cox e o próprio Torvalds.

Em sua contestação, Cox disse que riu do argumento sobre não haver consenso entre as distribuições na escolha dos componentes do sistema, já que o próprio Icaza teria sido responsável por uma grande divisão nos desktops, ao criar o Gnome. Além disso, os problemas de retrocompatibilidade seriam do Gnome, e não do kernel. Terminou dizendo que “O Gnome não é um realmente um desktop – é um projeto de pesquisa”.

Quanto a Linus, o criador do kernel Linux, ele disse ter achado graça de ter levado a culpa por ter influenciado no comportamento dos desenvolvedores. Argumentou que uma das regras principais do kernel é não romper com interfaces externas, ou seja, pode-se romper compatibilidade só internamente e não com programas e dispositivos externos.

Linus Torvalds mostrando o dedo

O que Linus Torvalds quis dizer (mas não disse) a Miguel Icaza

Para Torvalds, a maior prova do uso bem-sucedido dessa política seria a compatibilidade do Linux com os mais diversos processadores para computador e outros dispositivos como celulares e roteadores. Finalmente, reforçando os argumentos de Cox, disse que o pinguim se desenvolveu pelas ideias e necessidades de várias pessoas diferentes, ao contrário do projeto Gnome que, segundo afirma, impõe suas ideias aos usuários “goela abaixo”.

Exumando o cadáver

Embora seja essa mais uma história na longa lista de entreveros envolvendo personalidades distintas da comunidade do software livre, mais do que discutir de quem seria a culpa, o importante é saber se o desktop Linux está mesmo morto, pois segundo os filmes americanos, não há crime sem um cadáver.

É necessário lembrar, em primeiro lugar, que os parâmetros de sucesso do software livre vão muito além de sua adoção por um grande número de pessoas. O fato é que foi criada uma comunidade multi-facetada, organizada, criativa e produtiva, responsável por um ecossistema de soluções para desktop que, embora com suas imperfeições, hoje é plenamente funcional para a maioria dos usos aos quais se propõe. Quer dizer, a própria existência de um ecossistema funcional de software livre para desktop é, em si, uma prova de seu sucesso.

Além disso, ouso dizer que a grande maioria dos usuários Linux não ligam se a sua distribuição, ou se o pinguim como um todo, é usado por 6 ou 6 milhões de pessoas. Se existe um anseio de ganhar uma fatia maior do mercado, isto seria apenas para ganhar um pouco mais de consideração por parte dos fabricantes de hardware e software.

Dito isto, me parece que o cadáver não só está respirando, mas também está com muita saúde. Que diga o Ubuntu, o desktop Linux mais usado no mundo, que é utilizado até mesmo pelo Google.

Sobre as questões levantadas

Icaza tem razão quando afirma que a fragmentação da comunidade e de suas soluções dificultou a adoção do Linux de um modo mais amplo. Ao longo dos anos, talvez, poderiam ter sido adotados padrões comuns às várias distribuições para deixá-las mais próximas e permitir uma maior compatibilidade entre elas.

Desktop do Ubuntu 12.10

O Unity, interface gráfica padrão do Ubuntu, foi adotado devido a “diferenças filosóficas” entre a Canonical e o projeto GNOME

Não que estes padrões não existam e que não sejam adotados em parte, porque na realidade há um esforço nesse sentido por parte da Linux Foundation. A questão é que muitas vezes a liberdade de desenvolvimento (ou a vaidade dos desenvolvedores) fala mais alto. A prova disto é que nem mesmo quanto ao sistema de empacotamento há um consenso.

Por outro lado, essa divisão talvez seja inevitável por conta da própria natureza humana e porque a sobrevivência da comunidade depende dessa liberdade de escolhas, uma vez que um modelo mais limitante de seu comportamento poderia ensejar o seu fim. E o resultado desse processo, que ao mesmo tempo é a beleza e a fraqueza do Linux, chama-se diversidade.

Agora, quanto ao OSX, é preciso dizer que o seu desenvolvimento se deu em alguma medida pelo uso de soluções de software livre e uso de código aberto com licença BSD que foram incorporados pela Apple no código proprietário de seu sistema. Então, ironicamente pode-se afirmar que algum sucesso do software livre se realizou ali no sistema da maçã.

Já quanto à afirmação de que o sucesso do sistema da maçã tem atraído os desenvolvedores de software livre, pode ser verdade, mas é meio difícil engolir que isto esteja acontecendo numa proporção que venha a inviabilizar o futuro do pinguim.

Por último, mas não menos importante, existe um fator que talvez escape à visão do desenvolvedor, que se culpa pela adoção limitada dos sistemas livres para desktop. É o marketing: uma ferramenta da administração que inclui não somente publicidade e propaganda de produtos e serviços, mas que também abrange outros elementos importantes, como a distribuição no mercado.

Assim, a questão estaria longe de poder ser resolvida meramente sob o aspecto técnico e da alçada dos desenvolvedores, visto que atualmente é muito mais um problema mercadológico.

Steve Jobs e o iPad

Steve Jobs e o departamento de marketing da Apple fizeram muito pela marca e seus produtos

Quanto à publicidade e propaganda, o dinheiro manda. Campanhas publicitárias custam caro e, por conta disso, ainda hoje muito pouco se faz na divulgação do software livre em geral. Quando algo sobre o assunto cai na grande mídia, frequentemente isto acontece devido a uma declaração polêmica de seus desenvolvedores (Richard Stallman e Linus Torvalds que o digam). Assim, em boa parte, a divulgação do software livre conta com o boca a boca mesmo, ainda que na forma informatizada.

Mas o grande problema reside mesmo na distribuição. Por mais simples que seja atualmente instalar um sistema operacional, arrisco dizer que a maioria das pessoas não está disposta a fazê-lo, ainda mais em se tratando de um sistema diferente daquele que veio instalado na sua máquina, pelos riscos óbvios inerentes dessa atividade. Assim, esse modelo de distribuição via CD, DVD, USB, imagem da Internet, etc, tem uma eficácia muito limitada, atingindo somente usuários mais avançados e/ou mais ousados.

A grande chave para a ampliação do mercado Linux é, portanto, a sua distribuição pré-instalada em computadores. A Apple, por exemplo, não tem problemas quanto a isso, já que fabrica seu próprio hardware. Desta forma, não resta outra alternativa às distribuições senão negociar com os fabricantes das outras marcas de hardware que, praticamente todas elas, têm contratos de distribuição e instalação de cifras vultuosas com a Microsoft.

System 76

System 76: uma das poucas (ou a única?) empresas a vender computadores apenas com Ubuntu

Tenho certeza de que, tecnicamente falando, várias distribuições estão maduras o suficiente para serem oferecidas dessa maneira aos consumidores, mas quantas têm estrutura para se contrapor à Microsoft nesse campo de batalha que é inteiro dela e conseguir um espaço para oferecer seus sistemas pré-instalados?

Só para ilustrar o tamanho da dificuldade, cito o exemplo da Canonical, que há vários anos tem trabalhado junto à marca Dell para que esta ofereça computadores com o Ubuntu pré-instalado. Tudo que existe hoje lá no site de vendas daquela marca (inclusive no site brasileiro) é uma oferta bastante limitada de produtos com o sistema operacional laranja, chegando a ser difícil encontrá-los se você não estiver procurando especificamente por eles.

O desktop Linux está realmente morrendo?

Dureza, hein?

Como se isso não bastasse, no topo de todas as páginas do site de vendas daquela marca consta a frase “A Dell recomenda o Windows 7″. Dureza, não?

Mas afinal, qual é a do Miguel?

Como bem salientado por Torvalds naquela sua resposta no Google+, Miguel estaria atribuindo a todo o mundo Linux o que estaria acontecendo especificamente com o Gnome. Com efeito, há um rumor se propagando nas discussões pela internet de que o projeto Gnome estaria perdendo desenvolvedores. Apesar de Miguel já não fazer parte desse projeto há alguns anos, este é o círculo ao qual ele pertence, e a sua visão de mundo parte dali.

É um tanto triste, me parece, ver um desenvolvedor que dedicou tantos anos de trabalho ao software livre desiludir-se desta forma e jogar a toalha. Em seu post ele demonstra estar cansado, dizendo que não aguenta mais perder tempo para fazer funcionar o áudio de seu computador Linux.

Por mais ridículo que pareça ouvir isso de uma pessoa que poderia evitar esse problema de várias maneiras, ainda mais sendo um desenvolvedor, só lamento. Espero que ele seja muito feliz com seu iPhone e que se realize no mundo branquinho da maçã e que, assim, pare de dar opinião sobre o mundo com base no que acontece no seu umbigo.

E vocês, o que acharam sobre as declarações de Miguel de Icaza? Também acham que o desktop Linux está morto ou, realmente, ele disse isso usando seu umbigo como base de argumentação? Deixem seus comentários abaixo, por favor! :)

Assine nossa newsletter!

Quer receber as novidades mais recentes do Ubuntu na sua caixa de entrada? Informe seu e-mail e clique em Assinar.

  • Assine o feed RSS
  • Siga o Ubuntu-BR-SC no Twitter
  • Curta o Ubuntu-BR-SC no Facebook
  • Ubuntu-BR-SC no Google+
  • Canal do Ubuntu-BR-SC no YouTube


  • Bruno Cabral Peixoto

    Como se mata algo que não morre nem por reza braba???

  • brunocabral

    Como se mata algo que não morre nem por reza braba???

  • http://www.facebook.com/RichelmyMonteiro Richelmy Monteiro

    o bioma linux não se limita ao Bicho Gnome, se um cai, 3 nascerão! Novos tempos, desktop não fica restrito á escolha GNOME/KDE, a concorrência está crescendo, mais esbelta e rápida, TOMA CUIDADO COM ESSE TEU C*, GNOME

  • http://www.facebook.com/RichelmyMonteiro Richelmy Monteiro

    o bioma linux não se limita ao Bicho Gnome, se um cai, 3 nascerão! Novos tempos, desktop não fica restrito á escolha GNOME/KDE, a concorrência está crescendo, mais esbelta e rápida, TOMA CUIDADO COM ESSE TEU C*, GNOME

  • Douglas Giovani Oechsler

    Está morto pra quem quer se fazer de cego, de surdo ou para quem desconhece o linux numa maneira geral. Por conta do Ubuntu, ele tá mais vivo do que nunca! Em todo esses 7 anos que uso o Linux, nunca existiu tantos foruns, blogs, em nossa língua para tirar dúvidas, usar tal programa, instalar tal versão como nos últimos tempos. Morto está pra quem quer que o Linux Desktop esteja morto, só diz isso quem é contra o linux, quem não tem o que dizer e quem vê que ele cresce mas não quer admitir, fora a facilidade de uso que cresceu muito rapidamente. Viva o Linux sempre e por fazer as pessoas usarem a mente, abrir a cabeça e não ser mais um ser humanno bitolado, preguiçoso, que vive no seu próprio mundinho “FECHADO” .

    • Neliton

      Concordo 100%. E viva o Linux!

  • Douglas Giovani Oechsler

    Está morto pra quem quer se fazer de cego, de surdo ou para quem desconhece o linux numa maneira geral. Por conta do Ubuntu, ele tá mais vivo do que nunca! Em todo esses 7 anos que uso o Linux, nunca existiu tantos foruns, blogs, em nossa língua para tirar dúvidas, usar tal programa, instalar tal versão como nos últimos tempos. Morto está pra quem quer que o Linux Desktop esteja morto, só diz isso quem é contra o linux, quem não tem o que dizer e quem vê que ele cresce mas não quer admitir, fora a facilidade de uso que cresceu muito rapidamente. Viva o Linux sempre e por fazer as pessoas usarem a mente, abrir a cabeça e não ser mais um ser humanno bitolado, preguiçoso, que vive no seu próprio mundinho “FECHADO” .

    • Neliton

      Concordo 100%. E viva o Linux!

  • http://www.facebook.com/Cesar.A.R.de.Oliveira Cesar Augusto Rodrigues de Oli

    Para mim é simples, enquanto não houver um suporte melhor a jogos e tudo mais no Linux , ubuntu ou seja lá o que for … para mim não vai muito mais para frente.
    Tipo para mim o unity é ruim …. mas também não usei no dia a dia … mas usei um pouco já , por alguns dias e não achei nada prático.

    Windows na minha opinião de um modo geral é melhor infelizmente :( .
    Mas agora com a dita vinda do suporte da Valve e outras para o desktop linux , a coisa deve melhorar ESPERO.

    Pois parei por enquanto de usar ubuntu como padrão , faz uns 2 anos.

    Eu por enquanto fico no windows e não acho errado a Dell falar para o povo usar o Windows seven , sendo que nele as coisas vão funcionar melhor em se tratando de jogos , bancos e tudo mais.

    Infelizmente a maioria das coisas tem suporte melhor no windows ainda :(

    • Neliton

      A Dell não faz isso de indicar o Windows por quer. Ela faz isso porque está incluído no contrato de distribuição com a MS. Tudo é grana.

      E se vc acha o Windows mais prático, lembre-se que isso é tanto uma questão de gosto pessoal como de costume. Eu por exemplo uso o Ubuntu no meu dia a dia, e quanto mais eu uso, menos eu suporto usar o Windows. Hoje eu acho o Windows uma massaroca nojenta (perdoe a expressão), principalmente no que está por baixo da interface, o sistema em si.

      Além disso, a cada dia que passa há mais suporte de hardware e software e, portanto, isto é cada vez menos um problema. Se vc usou Linux há uns 5 anos atrás ou mais, deve saber que avançamos muito.

      • http://www.facebook.com/joaomarcos.pedroso.9 Joao Marcos Pedroso

        também ultimamente eu acho ubuntu mais prático do que windows a versão unity do 12.04 é bem estavel até instalei o gnome também mais to preferindo o unity mesmo depois que você acostuma é mais fácil do que o gnome, pelo menos acho isso, quando vou usar windows xp então, fico procurando as coisas toda vida, o windows 7 já é um pouco melhor mais acho o ubuntu bem mais prático.

    • http://www.facebook.com/clairton.rodrigo Clairton Rodrigo Heinzen

      As fabricantes de hardware não recomendam windows por boa vontade, ou pq eles gostam e nem muito menos pq é o melhor SO, é pq a MS paga para isso.

    • Sandelas

      Concordo em termos com você cara.
      Tipo, se você não gosta do “Unity” instale o MATE ou Gnome-fallback e seja feliz =).
      Particularmente quando eu usei o Unity no 11.04 não gostei nem um pouco tanto que voltei para a versão 10.10, mesmo ainda tendo o gnome antigo nele. Porém quando chegou a versão 11.10 eu passei a gostar muito do Unity ;).
      Vocês que gostam tanto do windows é porque foram primeiro apresentados para ele e não para um GNU/Linux de vergonha, pelo contrario quando uma maquina vem com um SO Linux é um que FAZ vergonha.
      Para finalizar ainda tenho o windows no meu desktop mas não no meu notebook, e quando estou ajudando alguem no windows aqui em casa fico colocando o mouse para o lado esquerdo da tela em busca do launcher do Unity kkkkkkkkkkkkkkkkkkk XD. E antes que eu me esqueça,minha irmã de 11 anos quando viu o Ubuntu com o Unity pela 1º vez pediu para eu instalar logo no PC da casa dela porque ela achou bem bonito e legal ;).

      • Jacinto Leite Aquino Rego

        NUNCA tive problema de recohecimento de som no meu desktop linux, isso há uns 10 anos peo menos!!!!!

    • SérgioD

      O caso não é que o window$$ é melhor, é que os fabricantes de games os fazem para window$$, são nativos para aquele SO. Eu não jogo e para o que eu faço a experiência no linux é mais rápida, mais ágil, menos bugada. Eu não tenho coragem de fazer uma transação bancária no outro SO nem a pau.

  • http://www.facebook.com/Cesar.A.R.de.Oliveira Cesar Augusto Rodrigues de Oli

    Para mim é simples, enquanto não houver um suporte melhor a jogos e tudo mais no Linux , ubuntu ou seja lá o que for … para mim não vai muito mais para frente.
    Tipo para mim o unity é ruim …. mas também não usei no dia a dia … mas usei um pouco já , por alguns dias e não achei nada prático.

    Windows na minha opinião de um modo geral é melhor infelizmente :( .
    Mas agora com a dita vinda do suporte da Valve e outras para o desktop linux , a coisa deve melhorar ESPERO.

    Pois parei por enquanto de usar ubuntu como padrão , faz uns 2 anos.

    Eu por enquanto fico no windows e não acho errado a Dell falar para o povo usar o Windows seven , sendo que nele as coisas vão funcionar melhor em se tratando de jogos , bancos e tudo mais.

    Infelizmente a maioria das coisas tem suporte melhor no windows ainda :(

    • Neliton

      A Dell não faz isso de indicar o Windows por quer. Ela faz isso porque está incluído no contrato de distribuição com a MS. Tudo é grana.

      E se vc acha o Windows mais prático, lembre-se que isso é tanto uma questão de gosto pessoal como de costume. Eu por exemplo uso o Ubuntu no meu dia a dia, e quanto mais eu uso, menos eu suporto usar o Windows. Hoje eu acho o Windows uma massaroca nojenta (perdoe a expressão), principalmente no que está por baixo da interface, o sistema em si.

      Além disso, a cada dia que passa há mais suporte de hardware e software e, portanto, isto é cada vez menos um problema. Se vc usou Linux há uns 5 anos atrás ou mais, deve saber que avançamos muito.

      Obrigado por deixar sua opinião!

      • http://www.facebook.com/joaomarcos.pedroso.9 Joao Marcos Pedroso

        também ultimamente eu acho ubuntu mais prático do que windows a versão unity do 12.04 é bem estavel até instalei o gnome também mais to preferindo o unity mesmo depois que você acostuma é mais fácil do que o gnome, pelo menos acho isso, quando vou usar windows xp então, fico procurando as coisas toda vida, o windows 7 já é um pouco melhor mais acho o ubuntu bem mais prático.

    • http://www.facebook.com/clairton.rodrigo Clairton Rodrigo Heinzen

      As fabricantes de hardware não recomendam windows por boa vontade, ou pq eles gostam e nem muito menos pq é o melhor SO, é pq a MS paga para isso.

    • Sandelas

      Concordo em termos com você cara.
      Tipo, se você não gosta do “Unity” instale o MATE ou Gnome-fallback e seja feliz =).
      Particularmente quando eu usei o Unity no 11.04 não gostei nem um pouco tanto que voltei para a versão 10.10, mesmo ainda tendo o gnome antigo nele. Porém quando chegou a versão 11.10 eu passei a gostar muito do Unity ;).
      Vocês que gostam tanto do windows é porque foram primeiro apresentados para ele e não para um GNU/Linux de vergonha, pelo contrario quando uma maquina vem com um SO Linux é um que FAZ vergonha.
      Para finalizar ainda tenho o windows no meu desktop mas não no meu notebook, e quando estou ajudando alguem no windows aqui em casa fico colocando o mouse para o lado esquerdo da tela em busca do launcher do Unity kkkkkkkkkkkkkkkkkkk XD. E antes que eu me esqueça,minha irmã de 11 anos quando viu o Ubuntu com o Unity pela 1º vez pediu para eu instalar logo no PC da casa dela porque ela achou bem bonito e legal ;).

      • Jacinto Leite Aquino Rego

        NUNCA tive problema de recohecimento de som no meu desktop linux, isso há uns 10 anos peo menos!!!!!

    • SérgioD

      O caso não é que o window$$ é melhor, é que os fabricantes de games os fazem para window$$, são nativos para aquele SO. Eu não jogo e para o que eu faço a experiência no linux é mais rápida, mais ágil, menos bugada. Eu não tenho coragem de fazer uma transação bancária no outro SO nem a pau.

  • MateusLN

    A resposta que eu dou pra ele é que também tinha problema com audio no meu desktop usando windows 7 “recomendado pela Dell”. Eu tinha que usar o cd do fabricante e quando eu perdi o tal CD nem o Google me salvou, no site do fabricante era impossível descobrir qual era o software correto. Acho que isso resume o meu argumento, quando um hardware não funciona no Windows a culpa é da empresa que fez o hardware, quando uma coisa não funciona no Linux a culpa é do Linux, vai entender.

    • Neliton

      Muito bem observado, Mateus.

    • http://www.facebook.com/ph.a.cerqueira Paulo Cerqueira

      Esta foi simplesmente a melhor definição que eu já li sobre o assunto.

    • Sandelas

      Gostei da resposta também cara ;).

    • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

      Concordo contigo.

    • Luiz Felipe G. Teixeira

      Simplismente perfeita a resposta! E vale lembrar também que o novo Windows 8 travou mais de uma vez na apresentação aqui no Brasil e os tecnicos da Microsoft apenas riram e fizeram piadinhas enquanto o tecnico resolvia…e as pessoas simplesmente aceitam isso numa boa…E agora a microsoft tem uma centra de aplicativo…Onde será que nos conhecemos essa ideia? windows XP precisava de cd de drivers para instalar…ubuntu já reconhecia seu hardware todo…ai a chegada no windows vista reconhecendo seu hardware….microsoft não constroi ideias rouba e usa o marketing ao seu favor…na minha opinião.

    • Antonio Caser

      Acontece que o Linux é feito por uma Comunidade e de graça, enquanto o Windows entre outros, é uma empresa que cobram por tudo que fazem. O linux deixa muito a desejar por falta de praticidade e mobilidade, coisa que sobra no windows, é isso que o usuário comum procura.

      Não estou defendendo o windows, gosto muito do Linux e quem entende o Linux não tem dificuldade em nenhum outro sistema operacional, porque ele te dá uma base de conhecimento muito grande do que é um sistema. Mas para o usuário final ou comum, é um “bicho de 7 cabeças”, por isso que muitos se afastam dele.

      A frase que costumo usar para o linux:
      “Linux, se podem complicar, para que simplificar?”

      É isso aí.

  • MateusLN

    A resposta que eu dou pra ele é que também tinha problema com audio no meu desktop usando windows 7 “recomendado pela Dell”. Eu tinha que usar o cd do fabricante e quando eu perdi o tal CD nem o Google me salvou, no site do fabricante era impossível descobrir qual era o software correto. Acho que isso resume o meu argumento, quando um hardware não funciona no Windows a culpa é da empresa que fez o hardware, quando uma coisa não funciona no Linux a culpa é do Linux, vai entender.

    • Neliton

      Muito bem observado, Mateus.

    • http://www.facebook.com/ph.a.cerqueira Paulo Cerqueira

      Esta foi simplesmente a melhor definição que eu já li sobre o assunto.

    • Sandelas

      Gostei da resposta também cara ;).

    • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

      Concordo contigo.

    • Luiz Felipe G. Teixeira

      Simplismente perfeita a resposta! E vale lembrar também que o novo Windows 8 travou mais de uma vez na apresentação aqui no Brasil e os tecnicos da Microsoft apenas riram e fizeram piadinhas enquanto o tecnico resolvia…e as pessoas simplesmente aceitam isso numa boa…E agora a microsoft tem uma centra de aplicativo…Onde será que nos conhecemos essa ideia? windows XP precisava de cd de drivers para instalar…ubuntu já reconhecia seu hardware todo…ai a chegada no windows vista reconhecendo seu hardware….microsoft não constroi ideias rouba e usa o marketing ao seu favor…na minha opinião.

    • Antonio Caser

      Acontece que o Linux é feito por uma Comunidade e de graça, enquanto o Windows entre outros, é uma empresa que cobram por tudo que fazem. O linux deixa muito a desejar por falta de praticidade e mobilidade, coisa que sobra no windows, é isso que o usuário comum procura.

      Não estou defendendo o windows, gosto muito do Linux e quem entende o Linux não tem dificuldade em nenhum outro sistema operacional, porque ele te dá uma base de conhecimento muito grande do que é um sistema. Mas para o usuário final ou comum, é um “bicho de 7 cabeças”, por isso que muitos se afastam dele.

      A frase que costumo usar para o linux:
      “Linux, se podem complicar, para que simplificar?”

      É isso aí.

  • Marcos

    Excelente post! Pau no C* do GNOME, nunca fui com a cara dele mesmo.

  • Marcos

    Excelente post! Pau no C* do GNOME, nunca fui com a cara dele mesmo.

  • http://www.facebook.com/fredericosiena Frederico F. Siena

    Concordo
    em grau, gênero e número com o Miguel. Infelizmente a produção
    colaborativa de muitos projetos gpl e opensource nunca foram bem
    regidas, e esforços desnecessários foram direcionados em
    iniciativas sem grandes objetivos, com pouca ou nenhuma visibilidade.
    Eu, usuário de GNU/Linux a aproximadamente 13 anos hoje passo por
    uma crise existencial de distribuição e ambiente X, onde
    sinceramente nenhuma distro e nenhum X me agradam e tornam meu
    ambiente descomplicado e produtivo. Todas as firulas do compiz como
    janelas gelatinosas e afins, acabam encantando a primeira vista, mas
    sinceramente não servem para nada a não ser gastar memória de
    forma desnecessária. O Compiz diga-se de passagem ao meu ver só é
    útil para a utilização de hot corners, o que realmente traz um
    grande auxílio em um desktop 3d. Kernel GNU/Linux a parte, todos os
    demais projetos nunca foram gerenciados e/ou conduzidos de maneira
    mercadológica e competitiva. Todos os meus trabalhos sempre são
    sobre plataformas unix like, seja gnu/linux ou bsd’s, pois do lado
    servidor/back and sinceramente não há nada tão robusto, seguro e
    otimizável, mas do lado desktop ainda não consigo enxergar nada que
    seja uma boa alternativa ao OS X, que diga-se de passagem roda
    de maneira excelente no meu PC. A Canonical talvez seja a única
    empresa com visão e ampliação de mercado capaz de alcançar
    produtos O&M nas linhas de portáteis, desktops e servidores
    hoje, e vem mostrando isso com todas as novas parcerias firmadas com
    grandes players do mercado de hardware. Todas as inovações do
    gnome, o surgimento de alternativas como unity, mate e cinnamon não
    propiciam um ambiente único entre as diversas distros, o que não
    fideliza usuários e geram curvas de aprendizado do ambiente ao meu
    ver desnecessários, pois o que realmente importa no final das contas
    é produzir utilizando um bom ambiente, e não ficar descobrindo a
    todo momento como o ambiente funciona, e em muitos casos ficar preso
    a diversas limitações e bugs. Hoje eu considero o Ubuntu a melhor
    opção para ambiente servidor, não pelo gerenciamento de pacotes ou
    “robustez”, mas pelas inúmeras parcerias e políticas de
    atualizações e o HCL entre fabricantes, mas sinto que falta
    maturidade na distro em si, algo que já está consolidado por
    exemplo no SuSE da Novell em sua plataforma de soluções para
    servidores e mainframes. Eu diria que hoje para mim o openSUSE é a
    melhor alternativa para um desktop eficiente, produtivo e estável,
    primeiro pela maturidade e evolução da distro, e segundo pelos
    rumos estratégicos e comerciais da Novell. O KDE um braço forte do
    desenvolvimento da distro dentro da empresa é a evolução de um
    ambiente seguro, estável, altamente gerenciável e altamente
    personalizável, e que com todo o cenário atual de desktops é o que
    realmente coloca o usuário como importante e não ele próprio.
    Lembro-me das minhas primeiras experiências com KDE ainda no
    Slackware 3.qualquer coisa, e Conectiva Guarani, e lembro como ele
    era superior ao tão leve WindowMaker do Brasileiro Alfredo Kojima.
    Sei que falei demais, mas se o LSB não for levado a sério entre as
    empresas e projetos de distribuições, o mundo continuará tendo
    inúmeras iniciativas frustradas como o antigo projeto entre a
    Conectiva, Mandrake, SuSE e demais denominado United Linux, que
    parecia ser uma solução enterprise realmente definitiva e que
    receberia a adoção por todos os grandes player do mercado, mas
    infelizmente afundou da mesma forma que nasceu. Espero que um dia
    todos nós, amantes do mundo gpl, gnu e open source possamos poder
    contar com a união de esforços e não com a fogueira das vaidades,
    e poder contar não com esforços isolados, mas com objetivos comuns.
    É isso aí…

    • Neliton

      Frederico, tendo em vista a sua respeitável história como usuário e profissional no mundo Linux, fica fácil entender porque você prefere o Suse ao Ubuntu em relação ao desktop. O Ubuntu tem como público alvo usuários leigos, enquanto o Suse, na melhor tradição alemã, é uma distribuição com enfoque um pouco mais técnico. O Suse dialoga mais com o usuário, dando muito mais informações sobre o que está acontecendo a cada passo, além de possuir o YaST, que é um belo conjunto de ferramentas de configuração e informação sobre o sistema. Já o Ubuntu é mais quieto, deixando detalhes transparentes ao usuário, e bem menos configurável por padrão, muito embora peque por excesso neste aspecto atualmente. Em resumo, são distribuições voltadas a públicos distintos.

      • Jefferson Saraiva de Oliveira

        É… Ubuntu é para leigos entre aspas… Quando comprei meu HP tx 2000 quis converte-lo em Ubuntu… Porém sofri mais do que precisava com problemas no touch, no wireless, no áudio, enfim… Participei até da Flisol-DF para encontrar ajuda, ajuda essa que nem os usuários experientes encontraram… Tive que abortar a migração e apenas “brincar” de usar linux… No meu entender a questão abordada originalmente sobre a distribuição culmina com a questão comercial e acredito que os desenvolvedores efetivamente não entendem o usuário leigo.

    • Sandelas

      Não discordo de você, porém todos que fazer parte de projetos Open Source, são humanos e cada um tem um gosto diferente, tanto é que NENHUM desktop é igual ao de outra pessoa, diferindo nem que seja por um ícone na área de trabalho, não importando qual sistema operacional seja (windows, mac ou linux).
      E como na maioria desse projetos, a grande maioria dos colaboradores não ganha para fazer o trabalho, cada um sempre coloca um pouco de si no que esta fazendo XD. O que quero dizer com isso é que acho meio que “impossível” que exista uma unificação dos esforços se tratando de ambientes de trabalho, justamente por cada um querer e gostar de coisas diferentes. Particularmente até gosto disso pois, seria muito difícil ter tudo o que quero e gosto em apenas um desktop. Gosto de coisas que tem no KDE, e outras do Gnome, e do Unity também.
      Só se tem um unificação no que você quis dizer, quando por traz existe uma empresa ou organização para orientar e dar a decisão final do vai ser feito realmente na distro X.
      Como esse mundo é Open Source, se por acaso do destino tivesse uma organização que fizesse isso para unificar um desktop. Na primeira decisão que não agradasse um determinado grupo irai se gerar um forg do projeto rapiamento. Como é o caso do Gnome antigamente em relação ao KDE, como foi a algum tempo com o Unity, o Cinnamom e o MATE em relação ao Gnome.

      E como acontece atualmente “SEMPRE” com o Kernel Linux. Pois como você deve saber existe uma arvore central do projeto, mas nada impede que você pegue o kenel em algum ponto dessa arvore e mude ele do jeito que você queira para a sua distro (kernel Ubuntu) ou para seu servidor o que sei que é feito frequentemente.

      Espero não ter enrolado muito para dar minha opinião XD.

  • http://www.facebook.com/fredericosiena Frederico F. Siena

    Concordo
    em grau, gênero e número com o Miguel. Infelizmente a produção
    colaborativa de muitos projetos gpl e opensource nunca foram bem
    regidas, e esforços desnecessários foram direcionados em
    iniciativas sem grandes objetivos, com pouca ou nenhuma visibilidade.
    Eu, usuário de GNU/Linux a aproximadamente 13 anos hoje passo por
    uma crise existencial de distribuição e ambiente X, onde
    sinceramente nenhuma distro e nenhum X me agradam e tornam meu
    ambiente descomplicado e produtivo. Todas as firulas do compiz como
    janelas gelatinosas e afins, acabam encantando a primeira vista, mas
    sinceramente não servem para nada a não ser gastar memória de
    forma desnecessária. O Compiz diga-se de passagem ao meu ver só é
    útil para a utilização de hot corners, o que realmente traz um
    grande auxílio em um desktop 3d. Kernel GNU/Linux a parte, todos os
    demais projetos nunca foram gerenciados e/ou conduzidos de maneira
    mercadológica e competitiva. Todos os meus trabalhos sempre são
    sobre plataformas unix like, seja gnu/linux ou bsd’s, pois do lado
    servidor/back and sinceramente não há nada tão robusto, seguro e
    otimizável, mas do lado desktop ainda não consigo enxergar nada que
    seja uma boa alternativa ao OS X, que diga-se de passagem roda
    de maneira excelente no meu PC. A Canonical talvez seja a única
    empresa com visão e ampliação de mercado capaz de alcançar
    produtos O&M nas linhas de portáteis, desktops e servidores
    hoje, e vem mostrando isso com todas as novas parcerias firmadas com
    grandes players do mercado de hardware. Todas as inovações do
    gnome, o surgimento de alternativas como unity, mate e cinnamon não
    propiciam um ambiente único entre as diversas distros, o que não
    fideliza usuários e geram curvas de aprendizado do ambiente ao meu
    ver desnecessários, pois o que realmente importa no final das contas
    é produzir utilizando um bom ambiente, e não ficar descobrindo a
    todo momento como o ambiente funciona, e em muitos casos ficar preso
    a diversas limitações e bugs. Hoje eu considero o Ubuntu a melhor
    opção para ambiente servidor, não pelo gerenciamento de pacotes ou
    “robustez”, mas pelas inúmeras parcerias e políticas de
    atualizações e o HCL entre fabricantes, mas sinto que falta
    maturidade na distro em si, algo que já está consolidado por
    exemplo no SuSE da Novell em sua plataforma de soluções para
    servidores e mainframes. Eu diria que hoje para mim o openSUSE é a
    melhor alternativa para um desktop eficiente, produtivo e estável,
    primeiro pela maturidade e evolução da distro, e segundo pelos
    rumos estratégicos e comerciais da Novell. O KDE um braço forte do
    desenvolvimento da distro dentro da empresa é a evolução de um
    ambiente seguro, estável, altamente gerenciável e altamente
    personalizável, e que com todo o cenário atual de desktops é o que
    realmente coloca o usuário como importante e não ele próprio.
    Lembro-me das minhas primeiras experiências com KDE ainda no
    Slackware 3.qualquer coisa, e Conectiva Guarani, e lembro como ele
    era superior ao tão leve WindowMaker do Brasileiro Alfredo Kojima.
    Sei que falei demais, mas se o LSB não for levado a sério entre as
    empresas e projetos de distribuições, o mundo continuará tendo
    inúmeras iniciativas frustradas como o antigo projeto entre a
    Conectiva, Mandrake, SuSE e demais denominado United Linux, que
    parecia ser uma solução enterprise realmente definitiva e que
    receberia a adoção por todos os grandes player do mercado, mas
    infelizmente afundou da mesma forma que nasceu. Espero que um dia
    todos nós, amantes do mundo gpl, gnu e open source possamos poder
    contar com a união de esforços e não com a fogueira das vaidades,
    e poder contar não com esforços isolados, mas com objetivos comuns.
    É isso aí…

    • Neliton

      Frederico, tendo em vista a sua respeitável história como usuário e profissional no mundo Linux, fica fácil entender porque você prefere o Suse ao Ubuntu em relação ao desktop. O Ubuntu tem como público alvo usuários leigos, enquanto o Suse, na melhor tradição alemã, é uma distribuição com enfoque um pouco mais técnico. O Suse dialoga mais com o usuário, dando muito mais informações sobre o que está acontecendo a cada passo, além de possuir o YaST, que é um belo conjunto de ferramentas de configuração e informação sobre o sistema. Já o Ubuntu é mais quieto, deixando detalhes transparentes ao usuário, e bem menos configurável por padrão, muito embora peque por excesso neste aspecto atualmente. Em resumo, são distribuições voltadas a públicos distintos.

      • Jefferson Saraiva de Oliveira

        É… Ubuntu é para leigos entre aspas… Quando comprei meu HP tx 2000 quis converte-lo em Ubuntu… Porém sofri mais do que precisava com problemas no touch, no wireless, no áudio, enfim… Participei até da Flisol-DF para encontrar ajuda, ajuda essa que nem os usuários experientes encontraram… Tive que abortar a migração e apenas “brincar” de usar linux… No meu entender a questão abordada originalmente sobre a distribuição culmina com a questão comercial e acredito que os desenvolvedores efetivamente não entendem o usuário leigo.

    • Sandelas

      Não discordo de você, porém todos que fazer parte de projetos Open Source, são humanos e cada um tem um gosto diferente, tanto é que NENHUM desktop é igual ao de outra pessoa, diferindo nem que seja por um ícone na área de trabalho, não importando qual sistema operacional seja (windows, mac ou linux).
      E como na maioria desse projetos, a grande maioria dos colaboradores não ganha para fazer o trabalho, cada um sempre coloca um pouco de si no que esta fazendo XD. O que quero dizer com isso é que acho meio que “impossível” que exista uma unificação dos esforços se tratando de ambientes de trabalho, justamente por cada um querer e gostar de coisas diferentes. Particularmente até gosto disso pois, seria muito difícil ter tudo o que quero e gosto em apenas um desktop. Gosto de coisas que tem no KDE, e outras do Gnome, e do Unity também.
      Só se tem um unificação no que você quis dizer, quando por traz existe uma empresa ou organização para orientar e dar a decisão final do vai ser feito realmente na distro X.
      Como esse mundo é Open Source, se por acaso do destino tivesse uma organização que fizesse isso para unificar um desktop. Na primeira decisão que não agradasse um determinado grupo irai se gerar um forg do projeto rapiamento. Como é o caso do Gnome antigamente em relação ao KDE, como foi a algum tempo com o Unity, o Cinnamom e o MATE em relação ao Gnome.

      E como acontece atualmente “SEMPRE” com o Kernel Linux. Pois como você deve saber existe uma arvore central do projeto, mas nada impede que você pegue o kenel em algum ponto dessa arvore e mude ele do jeito que você queira para a sua distro (kernel Ubuntu) ou para seu servidor o que sei que é feito frequentemente.

      Espero não ter enrolado muito para dar minha opinião XD.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=748627858 Jorge Eduardo

    Concordo contigo, Neliton.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=748627858 Jorge Eduardo

    Concordo contigo, Neliton.

  • http://www.facebook.com/guilherme.menezes.100 Guilherme Menezes

    Concordo com o Cesar Augusto e ouso a acrescentar: Enquanto o ego dos desenvolvedores for maior que seus respectivos sensos de praticidade, os sistemas linux nao vao pra frente. Uso o ubuntu diariamente e sei que existe VARIAS coisas que nao sao nem um pouco praticas. Ja vi inclusive desenvolvedores xingando autores de GUI por estes tentarem desenvolver interfaces graficas para programas de console;
    xingarem adeptos do sistema next-next-finish para a instalacao de programas, etc….
    Ja demorei horas somente para instalar um programa no linux pois isto exigia modificacoes de permissao, etc. Qual o problema em adotar um sistema que é melhor em vez do prazer de digitar linhas do comando no kernel ?! E não me venha usar a central de programas como solucao pq sabemos que no momento ela não é! Pois ainda temos que baixar e instalar manualmente a maioria dos softwares..
    Concordo que a versatilidade que os programas de console proporcionam é valiosa, porém vale a pena lembrar que nem todo usuário de linux é programador….

    • Sandelas

      Por que a central de programas não é a solução???
      Particularmente ela resolve 80% dos meus problemas com Apps e uso raramente o synaptic.
      Quando a central não resolve (não tem a aplicação que eu quero) recorro a uma ppa e pronto ;). Sem mistério algum =).

    • Neliton

      Eu vejo a Central de Programas como um grande avanço, pelo apelo visual e informações que proporcionam, que fazem uma grande diferença principalmente aos usuários leigos. A grande maioria dos programas eu instalo através dela, mas ainda uso o Synaptic quando quero um gerenciamento mais detalhado das instalações. Instalação manual, sinceramente, é muito raro, até porque quando vc baixa um pacote .deb, a central de programas instala pra vc.

    • http://www.facebook.com/guilherme.menezes.100 Guilherme Menezes

      Concordo plenamente com vcs de que a central de programas é um avanço para a instalação de programas no linux. Entretanto isso depende muito do caso. Eu particularmente utilizo “milhares” de programas que não podem ser instalados via central de programas como o Matlab por exemplo (que por sinal levei horas para simplesmente criar um executavel da area de trabalho para nao ser preciso utilizar o console toda vez que eu tiver que entrar). Outro fato a ser lembrado é que nem todos os programas disponibilizam o pacote .deb para a instalação e alguns nem mesmo possuem executável, voce mesmo tem que compilar o código. Me desculpem pelo termo “nao vao pra frente” pois acredito que exagerei um pouco. Sou fã declarado do linux e acho ele melhor que o linux em quase todos os quesitos. Entretanto eu acho que muitas pessoas concordam comigo que a dificuldade na instalaçao e uso de programas sem GUI no mínimo não ajuda o linux a se tornar maior do que é.

      • Neliton

        Guilherme, creio que vc seja uma exceção, já que tem necessidade de utilizar “milhares” de programas que não estão disponíveis na CP, ou que nem mesmo estão empacotados.

  • http://www.facebook.com/guilherme.menezes.100 Guilherme Menezes

    Concordo com o Cesar Augusto e ouso a acrescentar: Enquanto o ego dos desenvolvedores for maior que seus respectivos sensos de praticidade, os sistemas linux nao vao pra frente. Uso o ubuntu diariamente e sei que existe VARIAS coisas que nao sao nem um pouco praticas. Ja vi inclusive desenvolvedores xingando autores de GUI por estes tentarem desenvolver interfaces graficas para programas de console;
    xingarem adeptos do sistema next-next-finish para a instalacao de programas, etc….
    Ja demorei horas somente para instalar um programa no linux pois isto exigia modificacoes de permissao, etc. Qual o problema em adotar um sistema que é melhor em vez do prazer de digitar linhas do comando no kernel ?! E não me venha usar a central de programas como solucao pq sabemos que no momento ela não é! Pois ainda temos que baixar e instalar manualmente a maioria dos softwares..
    Concordo que a versatilidade que os programas de console proporcionam é valiosa, porém vale a pena lembrar que nem todo usuário de linux é programador….

    • Sandelas

      Por que a central de programas não é a solução???
      Particularmente ela resolve 80% dos meus problemas com Apps e uso raramente o synaptic.
      Quando a central não resolve (não tem a aplicação que eu quero) recorro a uma ppa e pronto ;). Sem mistério algum =).

    • Neliton

      Eu vejo a Central de Programas como um grande avanço, pelo apelo visual e informações que proporciona, que fazem uma grande diferença principalmente aos usuários leigos. A grande maioria dos programas eu instalo através dela, mas ainda uso o Synaptic quando quero um gerenciamento mais detalhado das instalações. Instalação manual, sinceramente, é muito raro, até porque quando vc baixa um pacote .deb, a central de programas instala pra vc.

    • http://www.facebook.com/guilherme.menezes.100 Guilherme Menezes

      Concordo plenamente com vcs de que a central de programas é um avanço para a instalação de programas no linux. Entretanto isso depende muito do caso. Eu particularmente utilizo “milhares” de programas que não podem ser instalados via central de programas como o Matlab por exemplo (que por sinal levei horas para simplesmente criar um executavel da area de trabalho para nao ser preciso utilizar o console toda vez que eu tiver que entrar). Outro fato a ser lembrado é que nem todos os programas disponibilizam o pacote .deb para a instalação e alguns nem mesmo possuem executável, voce mesmo tem que compilar o código. Me desculpem pelo termo “nao vao pra frente” pois acredito que exagerei um pouco. Sou fã declarado do linux e acho ele melhor que o windows em quase todos os quesitos. Entretanto eu acho que muitas pessoas concordam comigo que a dificuldade na instalaçao e uso de programas sem GUI no mínimo não ajuda o linux a se tornar maior do que é.

      • Neliton

        Guilherme, creio que vc seja uma exceção, já que tem necessidade de utilizar “milhares” de programas que não estão disponíveis na CP, nem em ppa, ou que nem mesmo estão empacotados.

  • Ian Brunelli

    ” Finalmente, reforçando os argumentos de Kox, disse que o pinguim se desenvolveu pelas ideias e necessidades de várias pessoas diferentes, ao contrário do projeto Gnome que, segundo afirma, impõe suas ideias aos usuários “goela abaixo”.”
    É claro que o GNOME impõe suas ideias, assim como o Unity, o KDE, e qualquer outro ambiente de trabalho, pois todo ambiente precisa seguir um “caminho”, ou seja, escolher algo para ser o padrão, e esse padrão jamais agradará a todos. Para suavizar isso os desenvolvedores oferecem várias opções de customização/personalização, opções essas que, por enquanto, são mais difíceis no GNOME, mas os desenvolvedores já estão trabalhando para que a personalização do Shell se torne mais fácil.

  • Ian Brunelli

    ” Finalmente, reforçando os argumentos de Kox, disse que o pinguim se desenvolveu pelas ideias e necessidades de várias pessoas diferentes, ao contrário do projeto Gnome que, segundo afirma, impõe suas ideias aos usuários “goela abaixo”.”
    É claro que o GNOME impõe suas ideias, assim como o Unity, o KDE, e qualquer outro ambiente de trabalho, pois todo ambiente precisa seguir um “caminho”, ou seja, escolher algo para ser o padrão, e esse padrão jamais agradará a todos. Para suavizar isso os desenvolvedores oferecem várias opções de customização/personalização, opções essas que, por enquanto, são mais difíceis no GNOME, mas os desenvolvedores já estão trabalhando para que a personalização do Shell se torne mais fácil.

  • http://www.facebook.com/luisrosseto Luís Gustavo

    Hoje vai ter muito o que se falar sobre isso no “Papo de Buteco” que começa as 22:00

  • http://www.facebook.com/luisrosseto Luís Gustavo

    Hoje vai ter muito o que se falar sobre isso no “Papo de Buteco” que começa as 22:00

  • Gilson Filho

    Sinceramente, esse cara não tem moral mais para ficar “pitacando” isso. Ele nem participa mais, fora e dentro dos bastidores.

    É só mais um otário se formando.

  • Gilson Filho

    Sinceramente, esse cara não tem moral mais para ficar “pitacando” isso. Ele nem participa mais, fora e dentro dos bastidores.

    É só mais um otário se formando.

  • http://www.facebook.com/renan.sva Renan Sva

    Me desculpe esse cara que falou que o desktop linux está morrendo?
    Então de vez melhorar as pessoas ficam ‘criticando’ pode se fazer 99,9% enquanto não fizer os 100% não está bom.
    Viva o Linux !

  • http://www.facebook.com/renan.sva Renan Sva

    Me desculpe esse cara que falou que o desktop linux está morrendo?
    Então de vez melhorar as pessoas ficam ‘criticando’ pode se fazer 99,9% enquanto não fizer os 100% não está bom.
    Viva o Linux !

  • Antenor Vieira Junior

    Não encontro razões para continuar com o Windows 7 instalado (dual boot) no Lenovo que adquiri recente seu uso ficou obsoleto, o Ubuntu 12.04 LTS é atualíssimo e preferencial, único e dinamico.

  • Antenor Vieira Junior

    Não encontro razões para continuar com o Windows 7 instalado (dual boot) no Lenovo que adquiri recente seu uso ficou obsoleto, o Ubuntu 12.04 LTS é atualíssimo e preferencial, único e dinamico.

  • Sergio Aquino

    Olha, sinceramente esse cara está completamente errado! Pois o GNU/Linux está avançando cada vez mais, principalmente o GNU/Linux Ubuntu que a cada dia está melhor e tantas outras distribuições! Eu deixei de usar o Microsoft Windows em meu computador já faz uns 3 anos e não me arrependendo, mas também não critico que usa pois ainda temos problemaa na questão de alguns softwares que não rodam no GNU/Linux.

    Sinceramente, parabenizo a comunidade pelo esforço, conheço muitas pessoas que usavam o Windows e hoje migraram totalmente para o GNU/Linux.

    Neliton, parabéns pela matéria!

    Abraços.

    • Neliton

      Eu que agradeço, Sergio!

  • Sergio Aquino

    Olha, sinceramente esse cara está completamente errado! Pois o GNU/Linux está avançando cada vez mais, principalmente o GNU/Linux Ubuntu que a cada dia está melhor e tantas outras distribuições! Eu deixei de usar o Microsoft Windows em meu computador já faz uns 3 anos e não me arrependendo, mas também não critico que usa pois ainda temos problemaa na questão de alguns softwares que não rodam no GNU/Linux.

    Sinceramente, parabenizo a comunidade pelo esforço, conheço muitas pessoas que usavam o Windows e hoje migraram totalmente para o GNU/Linux.

    Neliton, parabéns pela matéria!

    Abraços.

    • Neliton

      Eu que agradeço, Sergio!

  • Emanuel Negromonte

    Não entendo como alguém pode fazer uma afirmação dessas, talvez o Gnome esteja morrendo. Mas isso não se aplica ao Linux, afinal de contas muita gente usa e colabora para que o sistema funcione da melhor maneira possível. O Gnome vem fazendo loucuras no código e confundindo desenvolvedores. Bom, eu acho que deveriamos substituir o Linux no texto dele por Gnome!

  • Emanuel Negromonte

    Não entendo como alguém pode fazer uma afirmação dessas, talvez o Gnome esteja morrendo. Mas isso não se aplica ao Linux, afinal de contas muita gente usa e colabora para que o sistema funcione da melhor maneira possível. O Gnome vem fazendo loucuras no código e confundindo desenvolvedores. Bom, eu acho que deveriamos substituir o Linux no texto dele por Gnome!

  • http://profiles.google.com/hearthbreacker Hearthbreacker Makemefeel

    Como que vai matar algo que não está concorrendo diretamente com o Mercado???
    O Desktop Linux é Sucesso Apenas nos Servidores, são poucos os que realmente enxergam a Maravilha do Software Livre…
    Gostaria que Empresas como a System76 que vendem somente Linux, procure meios para vender para todo o Globo e não somente no continente Europeu, eu seria um dos primeiros que iria querer um Hardware 100% Livre…

  • http://profiles.google.com/hearthbreacker Hearthbreacker Makemefeel

    Como que vai matar algo que não está concorrendo diretamente com o Mercado???
    O Desktop Linux é Sucesso Apenas nos Servidores, são poucos os que realmente enxergam a Maravilha do Software Livre…
    Gostaria que Empresas como a System76 que vendem somente Linux, procure meios para vender para todo o Globo e não somente no continente Europeu, eu seria um dos primeiros que iria querer um Hardware 100% Livre…

  • Nelson Mariano

    De jeito nenhum.Estou aprendendo sobre o universo Linux à aproximadamente 1 mês e meio e, tendo estreado com o Ubuntu 12.04, e a sensação é de, pouco a pouco, estar me libertando, essa é a palavra mesmo,do sistema dominante, estudando,configurando as coisas com determinação e vontade de aprender, pois mesmo com experiência, quem só sabe operar rwin, não sabe quase nada.Tentando acertar distros diversas livre de serials ou afins, conheci felizmente o Sabayon Linux, e que baita distro! No meu note da Dell roda liso,e só falta acertar a configuração da multifuncional HP, tentando acertar o driver CUPS. Padronizar não é o caminho, mas sobriamente, os ambientes desktop dificultam o novo usuário Linux quando complicam usar programas preferidos do ambiente desktop diverso, que parece entre os desenvolvedores dos mesmos,inimigo.Mas, além da melhora nos drivers, especialmente de impressoras,mouses,scanners, hardware complementar ao PC em geral,que o amadurecimento do sistema pinguim certamente ao longo dos anos trará(e digo isso inclusive do PC-BSD,Unix like tb, que testei) o Linux desktop vai vingar sim.
    OBS. Sou iniciante no Pinguim e, se irritei algum power user, paciência.Estou aprendendo, me dedicando, como vc geek ou expert, já fez um dia.

    • Sandelas

      Muito bem @1ea589c22288598866ea6df1f44e0811:disqus !!! Gostei do que você falou. Só lembrando algumas coisas.
      Tipo para um usuário comum pegar o Ubuntu instalado por padrão com todos os codecs de áudio e vídeo ele não terá praticamente nenhum problema com mais nada, então ele não precisara configurar nada de mais. Sendo que mesmo sendo um um SO totalmente gratuito nada impede que o usuário comum pague alguém para configurar tudo e instalar todos os programas que ele possa querer no seu Ubuntu como se faz com o Windows (que normalmente é pirata :p).

      E por fim, não se preocupe por você ser um iniciante e tals, pois você comento aqui em um blog que digamos é de “Ubuntusers”, e como o Ubuntu também é meio que uma filosofia, você não devera encontrar usuários que iram lhe repreender ou coisa do tipo ;).

    • Luciano Cricco Peraro

      Caro Nelson, dê uma analisada aqui -> http://hplipopensource.com/hplip-web/index.html
      Pessoas, o Linux não está morto, e eu como disseminador de SL há quase 10 anos, tendo formado mais de 500 técnicos em informática, posso dizer que quando as pessoas são apresentadas à ele de uma forma adequada e não invasiva, acabam sim gostando e instalando-o, mesmo que em dual-boot, e utilizando-o para as tarefas essenciais do dia-a-dia.
      Inclusive, os mais desbravadores, investem nisso e se tornam profissionais da área.

      É muito bom poder corroborar com a parcela “não unânime”.

  • Nelson Mariano

    De jeito nenhum.Estou aprendendo sobre o universo Linux à aproximadamente 1 mês e meio e, tendo estreado com o Ubuntu 12.04, e a sensação é de, pouco a pouco, estar me libertando, essa é a palavra mesmo,do sistema dominante, estudando,configurando as coisas com determinação e vontade de aprender, pois mesmo com experiência, quem só sabe operar rwin, não sabe quase nada.Tentando acertar distros diversas livre de serials ou afins, conheci felizmente o Sabayon Linux, e que baita distro! No meu note da Dell roda liso,e só falta acertar a configuração da multifuncional HP, tentando acertar o driver CUPS. Padronizar não é o caminho, mas sobriamente, os ambientes desktop dificultam o novo usuário Linux quando complicam usar programas preferidos do ambiente desktop diverso, que parece entre os desenvolvedores dos mesmos,inimigo.Mas, além da melhora nos drivers, especialmente de impressoras,mouses,scanners, hardware complementar ao PC em geral,que o amadurecimento do sistema pinguim certamente ao longo dos anos trará(e digo isso inclusive do PC-BSD,Unix like tb, que testei) o Linux desktop vai vingar sim.
    OBS. Sou iniciante no Pinguim e, se irritei algum power user, paciência.Estou aprendendo, me dedicando, como vc geek ou expert, já fez um dia.

    • Sandelas

      Muito bem @1ea589c22288598866ea6df1f44e0811:disqus !!! Gostei do que você falou. Só lembrando algumas coisas.
      Tipo para um usuário comum pegar o Ubuntu instalado por padrão com todos os codecs de áudio e vídeo ele não terá praticamente nenhum problema com mais nada, então ele não precisara configurar nada de mais. Sendo que mesmo sendo um um SO totalmente gratuito nada impede que o usuário comum pague alguém para configurar tudo e instalar todos os programas que ele possa querer no seu Ubuntu como se faz com o Windows (que normalmente é pirata :p).

      E por fim, não se preocupe por você ser um iniciante e tals, pois você comento aqui em um blog que digamos é de “Ubuntusers”, e como o Ubuntu também é meio que uma filosofia, você não devera encontrar usuários que iram lhe repreender ou coisa do tipo ;).

  • http://www.facebook.com/ariel.marlin.5 Ariel Marlin

    para os fanaticos, amantes e tantas outras definições do software linux,

    realmente, ele falou com seu proprio umgibo…

    agora, eu que nao tenho problema com software livre nem com proprietario e
    acompanho pessoas e mais pessoas que nao sao da area em seu uso cotidiano
    do computador… digo

    é uma merda nao conseguir configurar mal a placa de som no linux…

    Se ele tá certo em quem culpar ou não, não posso falar nada, nao sei.. mas

    pohh… se diz maduro pra estar em desktop (onde usuario final sem nenhum conhecimento ira usar o pc) … pq raios é tao dificil instalar e configurar as coisas nesse sistema????

    para mim, tranquilo, acho lindo, mas falo pelos usuarios de computador mesmo

    ele não precisam (e nao querem) saber como ou o pq de O DRIVER DA PLACA DE REDE PRECISA SER FEITO ISSO OU AQUILO PARA FUNCIONAR JÁ QUE NAO RECONHECEU AUTOMÁTICO…

    criticam tanto Microsoft, mas, esquecem que, nao vejo usuario passando mal ao usar o sistema deles…

    PQ? PQ? PQ???

    pq o sistema dá ao usuario oq ele precisa, um computador pronto para usar
    ou seja (editar texto, ouvir musica, ver video e entrar na internet) fora coisinhas a mais…

    ENFIM…
    uma briga que, enquanto a pessoa olhar só pra seu umbigo (diga-se, o tal Izaca e o cara deste post e muitos outros que defendem isto) realmente, o sistema irá morrer no desktop do consumidor final…

    não diria morrer, diria, nem cogitar a nascer nele…

    Como diz meu professor de LInux, “sabe qual melhor SO? aquele que vc sabe usar…”

    Uso em casa Debian para estudos de servidores e redes, e Ubuntu como SO…

    Abraços Comunidade do SF

    • Sandelas

      Cara não concordo contigo…
      É o seguinte, quando você esta falando do usuário final você tem que pensar e prestar atenção no que está escrito nesse post por exemplo. Pois quando você diz que o windows da tudo que o usuário precisa você esta dizendo que já vem tudo instalado pronto para o usuário usar, o que é obvio já que normalmente você compra um computador ou notebook com ele instalado ¬¬ (uma merda diga-se de passagem, por ser uma venda casada). Logo o fabricante do computador é que teve o “trabalho” de deixar tudo pronto para o usuário e quando o computador vem com uma distro Linux que FAZ vergonha, o que o usuário comum faz??? Paga para algum “técnico” formatar o HD e instalar o Windows (e pirata) com todos os programas que ele vai precisar. Significa que o usuário final não faz nada, nem quer saber como instalar aquelas po#@%$ :p.

      Portanto para que o usuário final não tivesse problemas com uma distro Linux seria melhor que ela já vinhe-se instalada por padrão no computador quando ele fosse comprado. Mas um distro DE vergonha, como é o caso do nosso amado Ubuntu, e não uma que FAZ vergonha como é as que os fabricantes colocam es algumas maquinas por ai.
      Uma outra alternativa seria que esse usuário manda-se um “técnico” instalar o Ubuntu no PC dela já que ela não se interessa em como se instala ou coisa do tipo.
      Só porque a grande maioria das distros GNU/Linux é FREE não quer dizer que você não possa pagar para alguém configurar o seu PC, como é feito FREQUENTEMENTE quando você usa windows e ele fica lento, ou com muitos vírus, ou mesmo quando do nada ele para de funcionar e a única solução e reinstalar o SO.

      • Sandelas

        Esqueci de citar que na instalação PADRÃO do Ubuntu você tem muito mais aplicativos que você tem no windows, um exemplo disso é o LibreOffice que lhe permite editar arquivo até do MSOffice.
        Se você for instalar o windows, apos o termino da instalação você ainda vai ter que se preocupar com: um player de vídeo, um pacote Office, um compactador de arquivos, um browser de verdade :p entre outras coisas, o que torna ainda mais falho você dizer que já vem tudo prontinho no rwindows.

        Não entenda mal as coisas que eu disse cara ;).

        • Pibid Uel

          Eu acredito que é o Desktop que irá morrer, não o linux. Num futuro bem próximo os computadores estarão integrados em tudo, roupas, geladeiras, cérebro. E aí que o gnu/linux mostrará toda a sua força.

          • Sandelas

            Concordo em termos contigo, pois acho que sempre teremos a necessidade de termos um lugar para trabalhar e tals.
            Logo esse “lugar” será o nosso futuro “desktop”, e concordo com o que você falou do linux mostrar toda a sua força.

    • Neliton

      “ele não precisam (e nao querem) saber como ou o pq de O DRIVER DA PLACA DE REDE PRECISA SER FEITO ISSO OU AQUILO PARA FUNCIONAR JÁ QUE NAO RECONHECEU AUTOMÁTICO… criticam tanto Microsoft, mas, esquecem que, nao vejo usuario passando mal ao usar o sistema deles…

      PQ? PQ? PQ???”

      Ora, @Ariel Marlin, os fabricantes de hardware lançam seus produtos com suporte ao Windows, simplesmente pq, dada a dominância desse sistema no mercado, quem não fizer isso é louco e está fadado ao fracasso.

      Como a fatia de mercado do Linux ainda é muito pequena, muitos fabricantes não acham comercialmente interessante darem suporte a ele. Mas isso NÃO é culpa do ecossistema Linux em si que, é bom lembrar, faz o seu trabalho desenvolvendo o suporte open-source quando o fabricante fornece a documentação do produto que o permita, e faz MILAGRE quando não há documentação (talvez na maioria dos casos), tendo então que recorrer à engenharia reversa.

      Então hoje em dia, infelizmente, se você vai comprar um hardware e quer usar Linux nele, tem que verificar previamente se ele possui suporte para tanto, seja proprietário ou da comunidade. E se isso é cada vez menos um problema, repito, é muito mais por mérito da comunidade do que pelo apoio dos fabricantes.

  • http://www.facebook.com/ariel.marlin.5 Ariel Marlin

    para os fanaticos, amantes e tantas outras definições do software linux,

    realmente, ele falou com seu proprio umgibo…

    agora, eu que nao tenho problema com software livre nem com proprietario e
    acompanho pessoas e mais pessoas que nao sao da area em seu uso cotidiano
    do computador… digo

    é uma merda nao conseguir configurar mal a placa de som no linux…

    Se ele tá certo em quem culpar ou não, não posso falar nada, nao sei.. mas

    pohh… se diz maduro pra estar em desktop (onde usuario final sem nenhum conhecimento ira usar o pc) … pq raios é tao dificil instalar e configurar as coisas nesse sistema????

    para mim, tranquilo, acho lindo, mas falo pelos usuarios de computador mesmo

    ele não precisam (e nao querem) saber como ou o pq de O DRIVER DA PLACA DE REDE PRECISA SER FEITO ISSO OU AQUILO PARA FUNCIONAR JÁ QUE NAO RECONHECEU AUTOMÁTICO…

    criticam tanto Microsoft, mas, esquecem que, nao vejo usuario passando mal ao usar o sistema deles…

    PQ? PQ? PQ???

    pq o sistema dá ao usuario oq ele precisa, um computador pronto para usar
    ou seja (editar texto, ouvir musica, ver video e entrar na internet) fora coisinhas a mais…

    ENFIM…
    uma briga que, enquanto a pessoa olhar só pra seu umbigo (diga-se, o tal Izaca e o cara deste post e muitos outros que defendem isto) realmente, o sistema irá morrer no desktop do consumidor final…

    não diria morrer, diria, nem cogitar a nascer nele…

    Como diz meu professor de LInux, “sabe qual melhor SO? aquele que vc sabe usar…”

    Uso em casa Debian para estudos de servidores e redes, e Ubuntu como SO…

    Abraços Comunidade do SF

    • Sandelas

      Cara não concordo contigo…
      É o seguinte, quando você esta falando do usuário final você tem que pensar e prestar atenção no que está escrito nesse post por exemplo. Pois quando você diz que o windows da tudo que o usuário precisa você esta dizendo que já vem tudo instalado pronto para o usuário usar, o que é obvio já que normalmente você compra um computador ou notebook com ele instalado ¬¬ (uma merda diga-se de passagem, por ser uma venda casada). Logo o fabricante do computador é que teve o “trabalho” de deixar tudo pronto para o usuário e quando o computador vem com uma distro Linux que FAZ vergonha, o que o usuário comum faz??? Paga para algum “técnico” formatar o HD e instalar o Windows (e pirata) com todos os programas que ele vai precisar. Significa que o usuário final não faz nada, nem quer saber como instalar aquelas po#@%$ :p.

      Portanto para que o usuário final não tivesse problemas com uma distro Linux seria melhor que ela já vinhe-se instalada por padrão no computador quando ele fosse comprado. Mas um distro DE vergonha, como é o caso do nosso amado Ubuntu, e não uma que FAZ vergonha como é as que os fabricantes colocam es algumas maquinas por ai.
      Uma outra alternativa seria que esse usuário manda-se um “técnico” instalar o Ubuntu no PC dela já que ela não se interessa em como se instala ou coisa do tipo.
      Só porque a grande maioria das distros GNU/Linux é FREE não quer dizer que você não possa pagar para alguém configurar o seu PC, como é feito FREQUENTEMENTE quando você usa windows e ele fica lento, ou com muitos vírus, ou mesmo quando do nada ele para de funcionar e a única solução e reinstalar o SO.

      • Sandelas

        Esqueci de citar que na instalação PADRÃO do Ubuntu você tem muito mais aplicativos que você tem no windows, um exemplo disso é o LibreOffice que lhe permite editar arquivo até do MSOffice.
        Se você for instalar o windows, apos o termino da instalação você ainda vai ter que se preocupar com: um player de vídeo, um pacote Office, um compactador de arquivos, um browser de verdade :p entre outras coisas, o que torna ainda mais falho você dizer que já vem tudo prontinho no rwindows.

        Não entenda mal as coisas que eu disse cara ;).

        • Pibid Uel

          Eu acredito que é o Desktop que irá morrer, não o linux. Num futuro bem próximo os computadores estarão integrados em tudo, roupas, geladeiras, cérebro. E aí que o gnu/linux mostrará toda a sua força.

          • Sandelas

            Concordo em termos contigo, pois acho que sempre teremos a necessidade de termos um lugar para trabalhar e tals.
            Logo esse “lugar” será o nosso futuro “desktop”, e concordo com o que você falou do linux mostrar toda a sua força.

    • Neliton

      “ele não precisam (e nao querem) saber como ou o pq de O DRIVER DA PLACA
      DE REDE PRECISA SER FEITO ISSO OU AQUILO PARA FUNCIONAR JÁ QUE NAO
      RECONHECEU AUTOMÁTICO…
      criticam tanto Microsoft, mas, esquecem que, nao vejo usuario passando mal ao usar o sistema deles…

      PQ? PQ? PQ???”

      Ora, @Ariel Marlin, os fabricantes de hardware lançam seus produtos com suporte ao Windows, simplesmente pq, dada a dominância desse sistema no mercado, quem não fizer isso é louco e está fadado ao fracasso.

      Como a fatia de mercado do Linux ainda é muito pequena, muitos fabricantes não acham comercialmente interessante darem suporte a ele. Mas isso NÃO é culpa do ecossistema Linux em si que, é bom lembrar, faz o seu trabalho desenvolvendo o suporte open-source quando o fabricante fornece a documentação do produto que o permita, e faz MILAGRE quando não há documentação (talvez na maioria dos casos), tendo então que recorrer à engenharia reversa.

      Então hoje em dia, infelizmente, se você vai comprar um hardware e quer usar Linux nele, tem que verificar previamente se ele possui suporte para tanto, seja proprietário ou da comunidade. E se isso é cada vez menos um problema, repito, é muito mais por mérito da comunidade do que pelo apoio dos fabricantes.

  • Tux

    Linux talvez sempre seja “Marginal”.
    Pois é para um público que não curte modinha.
    quer saber, eu apoio Torvalds.

  • Tux

    Linux talvez sempre seja “Marginal”.
    Pois é para um público que não curte modinha.
    quer saber, eu apoio Torvalds.

  • Igor

    Neliton, ótimo post.

    • Neliton

      Grato, Igor!

  • Igor

    Neliton, ótimo post.

    • Neliton

      Grato, Igor!

  • alessandro simon

    “Como a Apple matou o desktop Linux” Onde no EUA ? Só pode
    ser! Estes caras nivelam sua opinião pelo o que só esta acontecendo em
    meia dúzia de países e principalmente nos EUA. Não faço a menor questão
    de ser o desktop mais usado. Como diria Nelson Rodrigues; “toda
    unanimidade é burra” .
    Não entendo como alguns comentários são maiores do que o post , é uma indicação que a pessoa é legal mais muito chata!!! e o certo é “Alan Cox”.

    saudações a todos.

    • Neliton

      Alessandro, obrigado por apontar minha gafe, já foi corrigida.

  • alessandro simon

    “Como a Apple matou o desktop Linux” Onde no EUA ? Só pode
    ser! Estes caras nivelam sua opinião pelo o que só esta acontecendo em
    meia dúzia de países e principalmente nos EUA. Não faço a menor questão
    de ser o desktop mais usado. Como diria Nelson Rodrigues; “toda
    unanimidade é burra” .
    Não entendo como alguns comentários são maiores do que o post , é uma indicação que a pessoa é legal mais muito chata!!! e o certo é “Alan Cox”.

    saudações a todos.

    • Neliton

      Alessandro, obrigado por apontar minha gafe, já foi corrigida.

  • http://www.facebook.com/jordan.queiroz Jordan Queiroz

    Ah, esse cara não tem noção. Se ele realmente gostasse do software livre, iria lutar em vez de desistir…(pelo menos eu penso assim). Fazer o que, cada um é cada um…
    Eu não acho que o Linux para Desktop esteja morto. O fato do linux possuir pouca parte da fatia do mercado não significa que seja ruim, só não é divulgado muito pelo marketing.
    Outro ponto: As distribuições podem ser diferentes, claro. Mas e aí? Cada um com uma necessidade/gosto diferente.
    No geral eu acho que o Icaza queria sair fora, e pra isso queria um motivo qualquer….

  • http://www.facebook.com/jordan.queiroz Jordan Queiroz

    Ah, esse cara não tem noção. Se ele realmente gostasse do software livre, iria lutar em vez de desistir…(pelo menos eu penso assim). Fazer o que, cada um é cada um…
    Eu não acho que o Linux para Desktop esteja morto. O fato do linux possuir pouca parte da fatia do mercado não significa que seja ruim, só não é divulgado muito pelo marketing.
    Outro ponto: As distribuições podem ser diferentes, claro. Mas e aí? Cada um com uma necessidade/gosto diferente.
    No geral eu acho que o Icaza queria sair fora, e pra isso queria um motivo qualquer….

  • Rogger

    Bom dia a todos.
    Acredito que o problema do Linux em desktop passa pela falta de vontade das empresas fabricantes e também pela falta de vontade dos vendedores. Eu vendo notebooks, com Windows ou Linux. Nos notebooks que vem com Linux (Fedora 2010), é extremamente destualizado. Ou seja, se você vende um sistema operacional Linux (defasado) tentando ser parecido com Windows a situação complica. O que faço: Instalo o Ubuntu, explico o funcionamento por no máximo 10 minutos e por incrível que pareça, os clientes saem satisfeitos. Uma das grandes vantagens do Ubuntu perante os outros distros Linux, é a sua central de programas. Isto ajuda e facilita muito a “vida” do usuário final.
    Quanto ao Windows, ele é maioria porque é unanimidade. Independente se for intuitivo ou não.
    Vida longa e próspera ao Linux!

    • Neliton

      Rogger, parabéns pelo seu trabalho e obrigado por ter compartilhado o seu caso de “vida real” aqui conosco!

    • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

      Eu já fiz pesquisa em algumas lojas, e a impressão
      que eu tinha era que os próprios fabricantes estavam sabotando o Linux para
      forçar o usuário a utilizar o Windows. Uma vez peguei um Note de um colega que
      o vídeo estava totalmente descofigurado sem o drive correto. A distribuição
      colocada era a coisa mais horrível.

      • Rogger Donadel

        Boa Tarde
        Não sei se sabotar é a palavra correta. Mas os fabricantes não dão a mínima quando instalam o Linux em um notebook. Já teve casos de notebooks que não funcionavam a rede sem fio. Não sou nenhum expert em Linux, mas tenho algum conhecimento. Eu tenho certeza que é possível usar uma distribuição funcional nestes notebooks. Hoje acredito que o Ubuntu é a melhor opção. Como disse anteriormente, a central de programas é muito importante para o usuário final que não tem conhecimento e também não deseja saber mais profundamente sobre o sistema.
        Eu li na internet sobre uns notebooks que vinham com Ubuntu levemente modificado. O fabricante se chama Megaware. Não estou fazendo propaganda, mas tem uma opção Linux descente.
        Att+ Rogger

        • elison

          eu ja tive um micro Megaware, e usava o ubuntu 10.10 ele funcionava normal, reconhecia todos os drivers, e hoje uso um micro da marca Zmax e nunca tive problema com hardware, e vou continuar usando ubuntu e recomendando.

  • Rogger

    Bom dia a todos.
    Acredito que o problema do Linux em desktop passa pela falta de vontade das empresas fabricantes e também pela falta de vontade dos vendedores. Eu vendo notebooks, com Windows ou Linux. Nos notebooks que vem com Linux (Fedora 2010), é extremamente destualizado. Ou seja, se você vende um sistema operacional Linux (defasado) tentando ser parecido com Windows a situação complica. O que faço: Instalo o Ubuntu, explico o funcionamento por no máximo 10 minutos e por incrível que pareça, os clientes saem satisfeitos. Uma das grandes vantagens do Ubuntu perante os outros distros Linux, é a sua central de programas. Isto ajuda e facilita muito a “vida” do usuário final.
    Quanto ao Windows, ele é maioria porque é unanimidade. Independente se for intuitivo ou não.
    Vida longa e próspera ao Linux!

    • Neliton

      Rogger, parabéns pelo seu trabalho e obrigado por ter compartilhado o seu caso de “vida real” aqui conosco!

    • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

      Eu já fiz pesquisa em algumas lojas, e a impressão
      que eu tinha era que os próprios fabricantes estavam sabotando o Linux para
      forçar o usuário a utilizar o Windows. Uma vez peguei um Note de um colega que
      o vídeo estava totalmente descofigurado sem o drive correto. A distribuição
      colocada era a coisa mais horrível.

      • Rogger Donadel

        Boa Tarde
        Não sei se sabotar é a palavra correta. Mas os fabricantes não dão a mínima quando instalam o Linux em um notebook. Já teve casos de notebooks que não funcionavam a rede sem fio. Não sou nenhum expert em Linux, mas tenho algum conhecimento. Eu tenho certeza que é possível usar uma distribuição funcional nestes notebooks. Hoje acredito que o Ubuntu é a melhor opção. Como disse anteriormente, a central de programas é muito importante para o usuário final que não tem conhecimento e também não deseja saber mais profundamente sobre o sistema.
        Eu li na internet sobre uns notebooks que vinham com Ubuntu levemente modificado. O fabricante se chama Megaware. Não estou fazendo propaganda, mas tem uma opção Linux descente.
        Att+ Rogger

        • elison

          eu ja tive um micro Megaware, e usava o ubuntu 10.10 ele funcionava normal, reconhecia todos os drivers, e hoje uso um micro da marca Zmax e nunca tive problema com hardware, e vou continuar usando ubuntu e recomendando.

  • http://www.facebook.com/enocknroll Enoque Joseneas

    Quem não conhece o mundo Linux, não imagina o quanto ele evoluiu nos últimos anos! Lembro muito bem de quando comecei a usar o Ubuntu, nada funcionava! Tinha configurar até o mouse. Drivers para WiFi então… era horrível! Quebrava a cabeça toda vez que instalava um programa. E hoje, é tudo mais fácil! O sistema tá muito estável, com grande suporte ao dispositivos de Hardware. Meu notebook Vaio por exemplo: não precisa configurar nada!! É só instalar qualquer distribuição Linux que todo o Hardware é reconhecido de primeira! Sem precisar “correr atrás de Drivers”.

    E o sistema está cada vez mais rápido e estável, inclusive mais opções de aplicativos disponíveis!

    Agora, realmente, o Linux não é um sistema para qualquer um como o Ruindows, em que 90% dos usuários não entendem nem o básico de informática! Utilizam o PC somente para navegar na Web e brincar nos joginhos para PC.

    E o Linux, se torna a cada dia, um Super Sistema, com muitos recursos, aplicativos profissionais para quem desenvolve Softwares, ou para quem usa o computador como uma ferramenta de trabalho.

    Viva o Linux!! :)

    • Neliton

      Enoque, como exemplo eu cito o meu caso com wifi, placa da Broadcom no notebook. Apesar de o Ubuntu reconhecê-la prontamente e indicar a instalação do driver proprietário (wl), descobri recentemente que a versão livre feita com engenharia reversa (o B43-lpphy) é muito melhor em termos de desempenho (o sinal melhor) e até de funcionalidade (o wl tem um bug: quando vc desliga o wifi e reinicia a máquina, não é possível ligar o wifi novamente…. isto não acontece na versão livre, que funciona perfeitamente).

      O que é que eu posso dizer a respeito senão dar PARABÉNS à comunidade pelo milagre?

  • http://www.facebook.com/enocknroll Enoque Joseneas

    Quem não conhece o mundo Linux, não imagina o quanto ele evoluiu nos últimos anos! Lembro muito bem de quando comecei a usar o Ubuntu, nada funcionava! Tinha configurar até o mouse. Drivers para WiFi então… era horrível! Quebrava a cabeça toda vez que instalava um programa. E hoje, é tudo mais fácil! O sistema tá muito estável, com grande suporte ao dispositivos de Hardware. Meu notebook Vaio por exemplo: não precisa configurar nada!! É só instalar qualquer distribuição Linux que todo o Hardware é reconhecido de primeira! Sem precisar “correr atrás de Drivers”.

    E o sistema está cada vez mais rápido e estável, inclusive mais opções de aplicativos disponíveis!

    Agora, realmente, o Linux não é um sistema para qualquer um como o Ruindows, em que 90% dos usuários não entendem nem o básico de informática! Utilizam o PC somente para navegar na Web e brincar nos joginhos para PC.

    E o Linux, se torna a cada dia, um Super Sistema, com muitos recursos, aplicativos profissionais para quem desenvolve Softwares, ou para quem usa o computador como uma ferramenta de trabalho.

    Viva o Linux!! :)

    • Neliton

      Enoque, como exemplo eu cito o meu caso com wifi, placa da Broadcom no notebook. Apesar de o Ubuntu reconhecê-la prontamente e indicar a instalação do driver proprietário (wl), descobri recentemente que a versão livre feita com engenharia reversa (o B43-lpphy) dá um côro em termos de desempenho (o sinal é muito melhor) e até de funcionalidade (o wl tem um bug: quando vc desliga o wifi e reinicia a máquina, não é possível ligar o wifi novamente).

      O que é que eu posso dizer a respeito senão dar PARABÉNS à comunidade pelo milagre?

  • http://www.facebook.com/josival2 Josival Santos

    O que dificulta um pouco na divulgação do OS Linux é a maioria dos pcs vem com Windows pré instalado. Isso porque as empresas deve receber algumas percentagem desse bolo e por muita pessoas usarem o Windows, então eles concluem que vão vender mais computadores com Windows que com Linux pré instalado. Pera mim o OS Linux só vai escancarar de vez quando todos se unirem em uma só disto contribuindo com suas habilidades no desenvolvimento de uma disto bem robusta e poderosa. O Ubuntu é um sistema que ele por si só já bate no Windows e só precisa de toda ajuda para enfrentar o Windows e ganhar espaço para os fabricantes de computadores pois foi com os fabricantes de pcs que o Windows se espalhou.

  • http://www.facebook.com/josival2 Josival Santos

    O que dificulta um pouco na divulgação do OS Linux é a maioria dos pcs vem com Windows pré instalado. Isso porque as empresas deve receber algumas percentagem desse bolo e por muita pessoas usarem o Windows, então eles concluem que vão vender mais computadores com Windows que com Linux pré instalado. Pera mim o OS Linux só vai escancarar de vez quando todos se unirem em uma só disto contribuindo com suas habilidades no desenvolvimento de uma disto bem robusta e poderosa. O Ubuntu é um sistema que ele por si só já bate no Windows e só precisa de toda ajuda para enfrentar o Windows e ganhar espaço para os fabricantes de computadores pois foi com os fabricantes de pcs que o Windows se espalhou.

  • BalgkarRS

    Pessoal, com todo o respeito a quem fez esse post, me parece ser um bom post, até certo ponto imparcial para trazer certos pontos de reflexos para a nossa mesa, massss, porém, eu não acho que nada aqui é válido, esse mesmo post já andou diversas vezes indo e vindo da internet por vários criadores, com palavras diferentes, talvez língua diferente, mas ainda assim o sentido e o objetivo do mesmo é idêntico a todos os demais.
    Sendo mais que sincero, alguém que diz que algo que está sendo utilizado por MILHÕES DE USUÁRIOS apaixonados, enlouquecidos, bêbados por informação do nosso tão amado pinguim, defensores fervoroso e empenhados na causa do nosso tão adorado OS.
    Sério pessoal.
    Talvez o Linux não seja o mais popular dos OS, talvez um Bentley , uma Maserati e um Rolls Royce também não sejam os mais populares dos carros.
    Só que desde quando não ser das massas não é ser algo bem sucedido?
    O Linux preenche um nicho, um nicho ao qual eu me incluo, e eu me sinto muito satisfeito e bem apaixonado em fazer parte.
    O Linux não é só um programa, ele é uma filosofia, a filosofia de viver em prol da massa, do upstream, do meter a mão e fazer, do ter liberdade de escolha e de customização, de não ficar preso as coisas por causa de valor e ao mesmo tempo não colocar dinheiro fora com coisas que por ventura não venhamos a permanecer filiados em nossas crenças futuramente.
    Eu poderia falar 10 mil coisas contra o windows ou a apple, mas acho que é melhor dizer só uma que possui muitos sentidos, usar o Linux não é usar só um OS, todo mundo sabe disso, é se sentir parte de um clã ou algo do gênero.
    Então pessoal, só para comentar também que quem faz um post como esse, talvez não tenha a intensão CLARA de fazer oque eu estou falando, mas esse mesmo post poderia ser postado em 100 outros lugares e teria o mesmo resultado.
    Quando falam mal do Linux em todas as suas faces, sempre se ergueram grandes quantias de pessoas para defender o Linux e até mesmo … não julgo correto, mas ofender o autor.
    Então amigos, é isso, mais um post que é mais do mesmo.
    Mas ainda assim valeu, é como jogar um gato no meio de uma matilha, sempre vai sair algo bem feio.
    No caso aqui esse artigo.
    Saudações a todos, grande abraço aos usuários e aos colaboradores do UbuntuBrSc

    • Neliton

      @BalgkarRS, parece que vc não leu meu post. E ainda me diz que não é original?

      • Leon/BalgkarRs

        Neliton, não li mesmo, não estou te ofendendo e nem ofendendo o teu post, ACHO que não reclamei do post, estou dizendo que tratar sobre o Linux nesse tom, é algo que SEMPRE trará um drama em nossos corações, e que é um hit certo, é quase como fazer uma festa, com mulher bonita e bebida liberada.
        E sim, eu já li alguns post no passado com essa mesma dinâmica, não se trata de tu estar certo, ou estar errado, ou ter escrito bem, te assisto pelo PdB e vejo que tu tem muita coerência em tuas respostas e concordo contigo na grande parte das vezes.
        O meu comentário é sim sobre que nós, como usuários Linux, quando utilizamos ele em nossas máquinas, em nossas vidas, nós sabemos que é um sucesso incrível, é como estar casado, a minha esposa não precisa ser uma deusa, mas se me satisfaz já é um sucesso, e o mesmo ocorre com o Linux, algumas coisas não se podem medir numérico-quantitativamente , mas sim de forma qualitativa. E nesse quesito o Linux mata tudo.
        Claro, uma das questões é que, o nível do usuários Linux, na média, é infinitamente superior aos do Windows.
        No Linux nós aprendemos de forma completamente livre em como interagir com o sistema e nos demais isso é claro que não existe.
        Mas, tentando não me perder do que eu falei, oque anda difícil ultimamente.
        Acabo de ler oque tu escreveste, mais uma vez, concordo com tudo oque tu fala, todos os pontos que tu abordaste, são pontos que nós temos PRESOS na goela ANTES MESMO DE CONHECER O Linux.
        Vou dar um exemplo, sou natural de uruguaiana, extremo oeste do RS, e sempre odiei aquela porcaria de cidade, sem emprego, sem vida cultural, um falatório grande quando alguém peidava, e me surgiu a oportunidade de vir morar em Porto Alegre, no primeiro momento eu fiquei muito com o pés atrás, pois achava que era uma verdadeira Sin City, bala perdida, garotas de programa, drogas, trânsito horrível, nomeie uma mazela de uma grande cidade e eu te direi que achava que tinha em poa.
        Bom, o fato é que quando cheguei aqui, meu irmão que já morava aqui fazia anos me apresentou a cidade e de lá para cá, 8 anos, eu ainda tenho um que de “amor de outra vida” por PoA de tanta paixão que eu sinto por ela, por que eu te comentei sobre isso…?
        Para te dizer que era o mesmo sentimento que eu tinha pelo Windows, eu não sabia NADA do Linux, mas já odiava profundamente o Windows, duas horas todos os dias na compulsão, só para fazer a manutenção diária.
        Mudei para o Linux por que eu estudo para concurso público, e no Windows eu jogava DEMAIS, bom, e em uma manhã de uma noite virada, em que eu estava fazendo limpeza no windows….ele quebrou(crashou como alguns gostam de dizer) e eu já tinha um CD do ubuntu, pronto, o 9.10 e isso que fazia um tempo que eu tinha ele, pensei comigo mesmo “vou chutar essa merda de windows” e bom… nunca mais instalei o windows na minha máquina e pensei que com isso, o tempo gasto com jogos e problemas no windows iriam se solucionar….bom. fato é que desenvolvi um vício pesado pelo Linux, em testar distros, em testar programas, ou seja, mudei o problema mas não dei a solução.
        Bom, mas mais uma vez, não estou contradizendo oque tu está dizendo, sobre ponto de vista nenhum, estou apenas dizendo que já vi esse post em vários outros lugares, não, não, tu não roubaste ou imitaste ele de ninguém, isso é mais doque claro, mas tu apenas disseste o óbvio, coisas que nós todos como usuários Linux sabemos, sentimos, vimos, que é claro para nós.
        Nos outros post, eles só deixavam argumentos CONTRA O Linux e daí a comunidade que desmanchava o criador do post ao contraria-lo
        E tu até mesmo fizeste um post bem curtinho por que tu sabe que tu teria que escrever um livro para expor de fato oque nós todos sentimos né?!
        Bom, ser prolixo não é um problema da minha parte, ser conciso e coerente talvez, claro que sei que a leitura daquilo que eu escrevo é sem dúvida e com frequência maçante, já que ninguém quer gastar 10 min de vida para ler .
        Então é isso amigo.
        Mais um vez, ótimo tu ter feito um artigo, muito bom mesmo.

        Mas como eu te digo, claro, que, tu deste o teu viés, a tua entonação, mas ainda assim, eu te aposto oque tu quiser, que nós voltaremos a ler um posto muito parecido com esse daqui em vários outros lugares e em pouco tempo.

        http://www.google.com.br/search?client=ubuntu&channel=fs&q=the+death+of+linux+desktop&ie=utf-8&oe=utf-8&redir_esc=&ei=Q7RVUMunE4z29gTrpYGYDg#hl=pt-BR&client=ubuntu&hs=ZiY&channel=fs&sclient=psy-ab&q=death+of+linux+desktop&oq=death+of+linux+desktop&gs_l=serp.12..0i30.6628.6952.0.8953.2.2.0.0.0.0.198.394.0j2.2.0…0.0…1c.1.-b8IGIQCZko&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_qf.&fp=d581dc0ae31e4af9&biw=1571&bih=882

        • Neliton

          Entendi, @88f90f534f52db25538cf0c9453e2ce2:disqus, eu sei que o assunto é recorrente, mas a polêmica desta vez foi pelo fato de que quem comentou isso foi o Miguel de Icaza, fundador do Gnome, e de que ele acabou colocando a culpa no Linus Torvalds.

          De resto concordo com você. Como eu disse no post, o sucesso do Linux e do software livre não é medido pela quantidade de usuários.

          Grande abraço!

          • BalgkarRs

            Olha Neliton
            Não é querer pegar no pé, mas aqui mais um site, que eu não acompanho tanto quanto o UbuntuBrSc, mas ainda assim acompanho.
            Olha o título.

            http://meupinguim.com/que-mata-desktop-linux/

            Nós todos temos opiniões sobre isso, nós todos com uma pequena reflexão, conseguimos atingir um denominador comum talvez, oque nos falta mesmo é prática.
            É isso que eu gosto do Linux, do fato de ser algo prático.
            Algo que se pode ir, meter as mãos, e fazer.
            Só que na hora de analisar oque matou algo que está em FRANCO desenvolvimento e bem feliz e faceiro no meu pc…
            Sim, eu entendo que o teu post não alegava a MORTE, mas sim fazia uma analise dos atuais eventos.
            E aposto que ainda por esses dias teremos mais e mais desses títulos.

  • BalgkarRS

    Pessoal, com todo o respeito a quem fez esse post, me parece ser um bom post, até certo ponto imparcial para trazer certos pontos de reflexos para a nossa mesa, massss, porém, eu não acho que nada aqui é válido, esse mesmo post já andou diversas vezes indo e vindo da internet por vários criadores, com palavras diferentes, talvez língua diferente, mas ainda assim o sentido e o objetivo do mesmo é idêntico a todos os demais.
    Sendo mais que sincero, alguém que diz que algo que está sendo utilizado por MILHÕES DE USUÁRIOS apaixonados, enlouquecidos, bêbados por informação do nosso tão amado pinguim, defensores fervoroso e empenhados na causa do nosso tão adorado OS.
    Sério pessoal.
    Talvez o Linux não seja o mais popular dos OS, talvez um Bentley , uma Maserati e um Rolls Royce também não sejam os mais populares dos carros.
    Só que desde quando não ser das massas não é ser algo bem sucedido?
    O Linux preenche um nicho, um nicho ao qual eu me incluo, e eu me sinto muito satisfeito e bem apaixonado em fazer parte.
    O Linux não é só um programa, ele é uma filosofia, a filosofia de viver em prol da massa, do upstream, do meter a mão e fazer, do ter liberdade de escolha e de customização, de não ficar preso as coisas por causa de valor e ao mesmo tempo não colocar dinheiro fora com coisas que por ventura não venhamos a permanecer filiados em nossas crenças futuramente.
    Eu poderia falar 10 mil coisas contra o windows ou a apple, mas acho que é melhor dizer só uma que possui muitos sentidos, usar o Linux não é usar só um OS, todo mundo sabe disso, é se sentir parte de um clã ou algo do gênero.
    Então pessoal, só para comentar também que quem faz um post como esse, talvez não tenha a intensão CLARA de fazer oque eu estou falando, mas esse mesmo post poderia ser postado em 100 outros lugares e teria o mesmo resultado.
    Quando falam mal do Linux em todas as suas faces, sempre se ergueram grandes quantias de pessoas para defender o Linux e até mesmo … não julgo correto, mas ofender o autor.
    Então amigos, é isso, mais um post que é mais do mesmo.
    Mas ainda assim valeu, é como jogar um gato no meio de uma matilha, sempre vai sair algo bem feio.
    No caso aqui esse artigo.
    Saudações a todos, grande abraço aos usuários e aos colaboradores do UbuntuBrSc

    • Neliton

      @BalgkarRS, parece que vc não leu meu post. E ainda me diz que não é original?

  • Eduardo

    Ola meu nome é Eduardo, considero-me um usuário final, não tenho conhecimento suficiente para deferder o sistema “linux” como tecnico; mas como leigo posso dizer aos que defendem o “MSW”, que mesmo a contra gosto estão dentro do filozofia que rege os mandamentos do “espirito livre”; Se “eles” quando idagado pelo: Pai, Mãe, Esposa, Marido… , onde esta o que esta fazendo?…. fica irritado!, mas aceita numa boa ser monitorado o tempo todo por um “SO”, isso tambem é liberdade, liberdade de escolher a forma como se quer ter as coisas, usando clandestinamente pagando caro por um SO ou usar uma distro linux que não poucas, porque mesmo pagando vc ainda vai usar programas livres, garanto que nao vai querer pagar por todos os programas necessário ao seu dia a dia. Usa o”linux” quem quizer, ja nao se pode dizer o mesmo do “MSW” (que é não mais que uma copia do open suse,que foi negociado pela MS com a Novell desde o Vista)(http://www.infoworld.com/d/open-source/microsoft-novell-linux-deal-two-years-later-858)(http://www.sfgate.com/news/article/Today-s-Novell-Deal-Helps-Microsoft-Continue-2471800.php)(http://www.zdnet.com/blog/microsoft/microsoft-and-suse-extend-microsofts-controversial-novell-linux-pact/10164)…etc…quem morreu foi o MSW quando o XP se foi. O linux ficou caro e trocou de nome,como podera o linux morrer se o sistema ja fez a doação de orgãos e esta disfarsado de vista, 7, 8 talves 10,11…,o sr: BG simplimente põe o linux em salão de beleza e o ditos srs intelectuais usuarios do linux MSW o consagram, O que um usuario quer e ter todos os aplicativos a sua diposicao, basta olhar quem usa “MSW” tem um monte de incone na area de trabalho, ignorando o plano de fundo etc… o que eu vejo e o OSX e MSW oferecer e isto uma pratica forma de se ter os aplicativos a sua disposicão com um ou dois click,a foto da namorada,cachorro,gost…da praia, pai mãe (nessa ordem) como papel de parede e descanso de tela.Se o publico comum não fosse tão influenciavel não haveria Mensagem subliminar, MSW, “bispo edir mac…”,nem governo corrupto no Brasil
    Então acho que não estou enganado quando digo que “Peca a comunidade do “linux” ao oferecer de graça aplicativos para quem quer pagar caro por um SO, e deixando de dar uma atenção maior ao sistema livre, dedicando tempo para que um usuário da “MSW”, possa usar de graça o mesmo aplicativo que ele encontra nos “sistemas linux” que é tão criticado.
    Quanto a morte inerente do sistema linux?, NUNCA VAI MORRER!, um espirito não morre!

    Me perdoem o discurso, mas não deixa de ser uma opinião; Muito obrigado
    Contribuo com o ubuntu da forma de tentar covencer os outros a usa-lo entrego o DVD com a imagem pra testarem.

  • Marcos Roberto

    Ele matou criando o GNOME que cria guerras até hoje no ecosistema linux, se só houvesse o kde o linux seria muito mais utilizado.

    • http://joacelio.blogspot.com.br/ JotaEle

      Quando comecei a usar Linux, o KDE não era livre, apesar de ser muito bom não era minha escolha primeira em termos de desktop, talvez tenha sido esse um dos motivos para o surgimento do gnome. Na época usava o FVWM como desktop principal, mas quando o licenciamento do KDE foi mudado passei a usá-lo.

  • Marcos Roberto

    Ele matou criando o GNOME que cria guerras até hoje no ecosistema linux, se só houvesse o kde o linux seria muito mais utilizado.

    • Joacelio Moura de Lucena

      Quando comecei a usar Linux, o KDE não era livre, apesar de ser muito bom não era minha escolha primeira em termos de desktop, talvez tenha sido esse um dos motivos para o surgimento do gnome. Na época usava o FVWM como desktop principal, mas quando o licenciamento do KDE foi mudado passei a usá-lo.

  • Pedro

    Só sei de uma coisa adoro o Linux e acredito demais em seu potencial

  • Pedro

    Só sei de uma coisa adoro o Linux e acredito demais em seu potencial

  • Samir Mamude

    Essa questão que o OSX é melhor para desenvolvedor varia muito de pessoa para pessoa. Sendo um usuario do OSX desde de 2009, nesses últimos anos não encontrei uma forma realmente legal de executar programas, libs, etc..

    O macports é uma aberração para instalar qualquer coisa, ao instalar um programa, invés de aproveitar o que já está instalado no Core do OSX não, ele tem que instalar 300 mil dependencias e por ai vai….sei que existe esse tal de Homebrew, mas não funciona direito, eu duvído que alguem consiga configurar Apache+Wsgi nessa joça…sendo assim acabei me conformando com o macports mesmo, porém nesses último 2 meses, decidi formatar o notebook e resolvi de vez voltar para o Ubuntu 11.10 para desenvolver e deixar o OSX apenas para mídia e outras coisas…foi a melhor coisa que fiz!!

    • Neliton

      Obrigado, @google-defd4e3d22745a62ae64289dbff2e3fc:disqus, por compartilhar sua perspectiva aqui conosco!

  • Samir Mamude

    Essa questão que o OSX é melhor para desenvolvedor varia muito de pessoa para pessoa. Sendo um usuario do OSX desde de 2009, nesses últimos anos não encontrei uma forma realmente legal de executar programas, libs, etc..

    O macports é uma aberração para instalar qualquer coisa, ao instalar um programa, invés de aproveitar o que já está instalado no Core do OSX não, ele tem que instalar 300 mil dependencias e por ai vai….sei que existe esse tal de Homebrew, mas não funciona direito, eu duvído que alguem consiga configurar Apache+Wsgi nessa joça…sendo assim acabei me conformando com o macports mesmo, porém nesses último 2 meses, decidi formatar o notebook e resolvi de vez voltar para o Ubuntu 11.10 para desenvolver e deixar o OSX apenas para mídia e outras coisas…foi a melhor coisa que fiz!!

    • Neliton

      Obrigado, @google-defd4e3d22745a62ae64289dbff2e3fc:disqus, por compartilhar sua perspectiva aqui conosco!

  • Marcos

    Meu único comentário: Cada vez que uso o Linux eu me surpreendo!!! Quando uso “outros” SO por mais lançamento que sejam, parecem coisa do passado.

  • Marcos

    Meu único comentário: Cada vez que uso o Linux eu me surpreendo!!! Quando uso “outros” SO por mais lançamento que sejam, parecem coisa do passado.

  • Neliton

    Entendi, @88f90f534f52db25538cf0c9453e2ce2:disqus, eu sei que o assunto é recorrente, mas a polêmica desta vez foi pelo fato de que quem comentou isso foi o Miguel de Icaza, fundador do Gnome, e de que ele acabou colocando a culpa no Linus Torvalds.

    De resto concordo com você. Como eu disse no post, o sucesso do Linux e do software livre não é medido pela quantidade de usuários.

    Grande abraço!

  • Alexsandro

    Ele só está triste cansado, quem é que
    nunca se senti assim um dia. Afinal de contas o Debian anunciou recentemente o
    abando do Gnome como GUI padrão em suas instalação. Cara! Eu também teria
    ficado deprimido. Rsrsrsrs.

    • Ramon Duarte

      Foi chutado pela mãe de varias distros… tsc…tsc…tsc. Um dos maiores projetos colaborativos de que se tem falado disse: Gnome, você foi pesado, medido e considerado INSUFICIENTE! :) Concordo amigo, ficaria deprimido também!

  • Alexsandro

    Ele só está triste cansado, quem é que
    nunca se senti assim um dia. Afinal de contas o Debian anunciou recentemente o
    abando do Gnome como GUI padrão em suas instalação. Cara! Eu também teria
    ficado deprimido. Rsrsrsrs.

    • Ramon Duarte

      Foi chutado pela mãe de varias distros… tsc…tsc…tsc. Um dos maiores projetos colaborativos de que se tem falado disse: Gnome, você foi pesado, medido e considerado INSUFICIENTE! :) Concordo amigo, ficaria deprimido também!

  • rochaduarte

    Sou administrador de sistemas de uma escola e desde do ano de 2011 que tenho migrado computadores clientes para Ubuntu começando pela versão 10.04 e este ano passando para a 12.04. Não tenho problemas com qualquer tipo de compatibilidade de hardware, aliás muito pelo contrário em certos casos no windows tinha enormes problemas em encontrar drivers. O Ubuntu reconhece tudo automaticamente! 5 estrelas em mais de 115 clientes!

    • Neliton

      Parabéns pelo seu trabalho, @rochaduarte:disqus!

  • rochaduarte

    Sou administrador de sistemas de uma escola e desde do ano de 2011 que tenho migrado computadores clientes para Ubuntu começando pela versão 10.04 e este ano passando para a 12.04. Não tenho problemas com qualquer tipo de compatibilidade de hardware, aliás muito pelo contrário em certos casos no windows tinha enormes problemas em encontrar drivers. O Ubuntu reconhece tudo automaticamente! 5 estrelas em mais de 115 clientes!

    • Neliton

      Parabéns pelo seu trabalho, @rochaduarte:disqus!

  • Ramon Duarte

    Vejo que este ilustre senhor esta frustrado com seus projetos (Gnome, Mono) e esta colocando sua visão distorcida em todo ecossistema Linux… Creio sim que o OS X “simplesmente funciona”, é bonito (minha opinião) e tem um logotipo da Maça. Mas um desenvolvedor também precisa de um sistema um pouco mais flexível, e até um comentário aqui disse o problema que é ajustar o OS X as suas necessidades, e como uma pessoa que se diz desenvolvedor não sabe comprar um equipamento compatível com um determinado sistema operacional, ou que não sabe ajustar algo que ele mesmo ajudou a desenvolver por tanto tempo, criou um divisor de águas no mundo do software livre e me vem com essa agora… primeiro adota Redmond com aquela aberração chamada Mono, depois me diz que o Linux como Desktop esta acabando?! Estranho meu senhor, vejo as distros cada vez mais sofisticadas, compatíveis e elegantes a cada lançamento. Sinto muito mas ele apostou e continua a apostar ERRADO no que se trata a ganhar dinheiro com software livre, primeiro (creio eu) quis rachar de ganhar dinheiro com Gnome (fracasso 1) e quer rachar de ganhar dinheiro com um remendo de C# (fracasso 2). Se ele fosse tão esperto quanto se julga, o Mono estaria desbancando a solução Propietaria o que até então não esta acontecendo.

    • Neliton

      Uma fórmula certa para o fracasso é ter uma expectativa errada ou exagerada sobre o que se faz. E neste caso o fracasso não está no resultado do esforço em si, mas meramente na cabeça de quem esperava outra coisa.

  • Ramon Duarte

    Vejo que este ilustre senhor esta frustrado com seus projetos (Gnome, Mono) e esta colocando sua visão distorcida em todo ecossistema Linux… Creio sim que o OS X “simplesmente funciona”, é bonito (minha opinião) e tem um logotipo da Maça. Mas um desenvolvedor também precisa de um sistema um pouco mais flexível, e até um comentário aqui disse o problema que é ajustar o OS X as suas necessidades, e como uma pessoa que se diz desenvolvedor não sabe comprar um equipamento compatível com um determinado sistema operacional, ou que não sabe ajustar algo que ele mesmo ajudou a desenvolver por tanto tempo, criou um divisor de águas no mundo do software livre e me vem com essa agora… primeiro adota Redmond com aquela aberração chamada Mono, depois me diz que o Linux como Desktop esta acabando?! Estranho meu senhor, vejo as distros cada vez mais sofisticadas, compatíveis e elegantes a cada lançamento. Sinto muito mas ele apostou e continua a apostar ERRADO no que se trata a ganhar dinheiro com software livre, primeiro (creio eu) quis rachar de ganhar dinheiro com Gnome (fracasso 1) e quer rachar de ganhar dinheiro com um remendo de C# (fracasso 2). Se ele fosse tão esperto quanto se julga, o Mono estaria desbancando a solução Propietaria o que até então não esta acontecendo.

    • Neliton

      Uma fórmula certa para o fracasso é ter uma expectativa errada ou exagerada sobre o que se faz. E neste caso o fracasso não está no resultado do esforço em si, mas meramente na cabeça de quem esperava outra coisa.

  • http://www.facebook.com/aferreiramelo Alecsandro Ferreira Melo

    Linux Morrendo, Sei…

  • Alecsandro Ferreira Melo

    Linux Morrendo, Sei…

  • http://www.facebook.com/rodrigopvai Rodrigo Henrique

    Meu sonho é teria ter o LINUX para CELULAR, Será que eu vou realizar-lo?

    • Neliton

      Rodrigo, se vc tem um aparelho com Android, vc tem Linux no seu celular.

      • http://www.facebook.com/rodrigopvai Rodrigo Henrique

        Quero ter o UBUNTU

        • Neliton

          Eu dei a resposta curta, entendo o que quer dizer. Já vi um vídeo do Ubuntu com LXDE rodando num Nokia N900, que tem um belo teclado físico. Mas o ideal mesmo seria que o sistema e os aplicativos tivessem versões específicas para celulares, pela diferença de interface.

          Existe o Ubuntu para Android, que é outro conceito, mas que é uma idéia também bastante interessante para o futuro.

          • Jefferson Saraiva de Oliveira

            Bom… Quando essa versão é emulado o celular fica uma bosta… Acredito que o culpado exclusivo disso é a Nokia…

        • Verdade2014

          Vai

  • http://www.facebook.com/rodrigopvai Rodrigo Henrique

    Meu sonho é teria ter o LINUX para CELULAR, Será que eu vou realizar-lo?

    • Neliton

      Rodrigo, se vc tem um aparelho com Android, vc tem Linux no seu celular.

      • http://www.facebook.com/rodrigopvai Rodrigo Henrique

        Quero ter o UBUNTU

        • Neliton

          Eu dei a resposta curta, entendo o que quer dizer. Já vi um vídeo do Ubuntu com LXDE rodando num Nokia N900, que tem um belo teclado físico. Mas o ideal mesmo seria que o sistema e os aplicativos tivessem versões específicas para celulares, pela diferença de interface.

          Existe o Ubuntu para Android, que é outro conceito, mas que é uma idéia também bastante interessante para o futuro.

          • Jefferson Saraiva de Oliveira

            Bom… Quando essa versão é emulado o celular fica uma bosta… Acredito que o culpado exclusivo disso é a Nokia…

  • Pingback: Primeiro Alpha do Fedora 18 "Spherical Cow" já foi liberado! | Blog Seja Livre()

  • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

    Olha essa discursão sobre quem é melhor, quem
    irá sobreviver e coisa e tal, parece com discursão religiosa. E como bem
    sabemos, todos estão certos e errados ao mesmo tempo. Trazendo para o nosso
    mundo ocidental, eu comparo a Microsoft com a Igreja Católica (Maior,
    unificada, centralizada, suas missas são iguais em todas as congregações, a
    estrutura da missa é rígida, proprietária. Não é qualquer um que chega e vai
    mudando a dinâmica do culto, é necessário uma ordem superior. Está presente em
    todo ocidente.); O OSX é o protestante histórico, (enquadraremos como uma
    igreja Batista Tradicional Histórica. Mantem o seu culto em um formato um pouco
    rígida, mas é suscetível a pequenas mudanças, está presente em quase todo
    lugar, mas em pequeno número.); O Linux é o movimento Neopentecostal (formado
    por diversas igrejas, cada uma com o seu formato de culto, uns mais liberais,
    outros mais radicais, mas no fundo a mesma essência e alguns traços do
    protestantismo histórico pois descende deste. Está presente em muitos lugares,
    mas de forma dispersa. Algumas são bem flexíveis, o formato de culto pode ser
    adaptado conforme a necessidade de se alcançar novos membros, seu membro tem
    voz ativa dentro da estrutura).

    Bem, não detalhei muito, poderia me aprofundar
    mais, mas acho que vocês entenderam o que quis dizer.

    E nessa discursão toda não há o vencedor e o
    perdedor. Cada um sai ganhando e perdendo dentro da sua estrutura. E também
    cada um se sente feliz naquilo que acredita…

    Mas é isso aí, seja livre, seja Linux… ;o)

  • http://www.facebook.com/flaviobezerrapereira Flávio Bezerra Pereira

    Olha essa discursão sobre quem é melhor, quem
    irá sobreviver e coisa e tal, parece com discursão religiosa. E como bem
    sabemos, todos estão certos e errados ao mesmo tempo. Trazendo para o nosso
    mundo ocidental, eu comparo a Microsoft com a Igreja Católica (Maior,
    unificada, centralizada, suas missas são iguais em todas as congregações, a
    estrutura da missa é rígida, proprietária. Não é qualquer um que chega e vai
    mudando a dinâmica do culto, é necessário uma ordem superior. Está presente em
    todo ocidente.); O OSX é o protestante histórico, (enquadraremos como uma
    igreja Batista Tradicional Histórica. Mantem o seu culto em um formato um pouco
    rígida, mas é suscetível a pequenas mudanças, está presente em quase todo
    lugar, mas em pequeno número.); O Linux é o movimento Neopentecostal (formado
    por diversas igrejas, cada uma com o seu formato de culto, uns mais liberais,
    outros mais radicais, mas no fundo a mesma essência e alguns traços do
    protestantismo histórico pois descende deste. Está presente em muitos lugares,
    mas de forma dispersa. Algumas são bem flexíveis, o formato de culto pode ser
    adaptado conforme a necessidade de se alcançar novos membros, seu membro tem
    voz ativa dentro da estrutura).

    Bem, não detalhei muito, poderia me aprofundar
    mais, mas acho que vocês entenderam o que quis dizer.

    E nessa discursão toda não há o vencedor e o
    perdedor. Cada um sai ganhando e perdendo dentro da sua estrutura. E também
    cada um se sente feliz naquilo que acredita…

    Mas é isso aí, seja livre, seja Linux… ;o)

  • http://www.facebook.com/arturvsantos Artur Vicente

    Excelente texto, colega.
    Quanto ao Miguel, não tenho muito o que comentar a não ser que, atualmente, ele não me parece a pessoa mais confiável para opinar sobre software livre.
    Mas aproveitando o ponto concernente às dificuldades do software livre em sua aceitação e expansão popular nos desktops, gostaria de repassar um sítio que há tempo eu o acesso e que se tornou para mim um ponto de partida em entender, tecnicamente, quais pontos fundamentais das dificuldades encontradas para a melhoria dos desktops linux.
    Aprecie(m): http://linuxfonts.narod.ru/why.linux.is.not.ready.for.the.desktop.current.html

    • Neliton

      Obrigado, @facebook-781048447:disqus!

  • Neliton

    Obrigado, @facebook-781048447:disqus!

  • http://www.facebook.com/rjusti1 Rodrigo Justi

    O desktop Linux só está morto para aqueles que querem exterminá-lo. Um sistema confiável, robusto, dinâmico, livre, aberto (você escolhe a distribuição que quiser) vai morrer por que?

  • http://www.facebook.com/rjusti1 Rodrigo Justi

    O desktop Linux só está morto para aqueles que querem exterminá-lo. Um sistema confiável, robusto, dinâmico, livre, aberto (você escolhe a distribuição que quiser) vai morrer por que?

  • Cleiton

    Sinto orgulho de participar da comunidade livre, embora sinta medo de tudo vir abaixo por varios problemas citados no artigo.

    Estudo T.I em 2 instituições diferentes, pretendo ganhar dinheiro com software livre e acredito que isto seja possível. Sou ridicularizado pelos meus colegas de estudo, vivemos em uma grande cruzada e inclusive alguns professores me ridicularizam por preferir algo que nem preco monetário possui.

    Acho que um dos grandes problemas da reputação do Linux, é o fato de ser disponibilizado gratuitamente. Certa vez, um outro amigo desenvolvedor disse que fez uma doação de seu sistema para um comercio e o sistema nem foi utilizado, não porque o sistema fosse ruim… pelo contrário, o sistema vendia muito, porém, quando se recebe de graça, não se dá valor.

    O sistema da Maçã, pertence a mesma família e por possuir alto custo de aquisição, virou simbolo de status e o produto consegue “SELO DE QUALIDADE” associado ao custo do produto. Não que o sistema da apple não tenha qualidade, pelo contrário, mas o fato de ter um alto custo de aquisição, recebe uma moral maior que o irmão pobre.

  • Cleiton

    Sinto orgulho de participar da comunidade livre, embora sinta medo de tudo vir abaixo por varios problemas citados no artigo.

    Estudo T.I em 2 instituições diferentes, pretendo ganhar dinheiro com software livre e acredito que isto seja possível. Sou ridicularizado pelos meus colegas de estudo, vivemos em uma grande cruzada e inclusive alguns professores me ridicularizam por preferir algo que nem preco monetário possui.

    Acho que um dos grandes problemas da reputação do Linux, é o fato de ser disponibilizado gratuitamente. Certa vez, um outro amigo desenvolvedor disse que fez uma doação de seu sistema para um comercio e o sistema nem foi utilizado, não porque o sistema fosse ruim… pelo contrário, o sistema vendia muito, porém, quando se recebe de graça, não se dá valor.

    O sistema da Maçã, pertence a mesma família e por possuir alto custo de aquisição, virou simbolo de status e o produto consegue “SELO DE QUALIDADE” associado ao custo do produto. Não que o sistema da apple não tenha qualidade, pelo contrário, mas o fato de ter um alto custo de aquisição, recebe uma moral maior que o irmão pobre.

  • Carlos

    A continuidade está nos fabricantes de hardware disponibilizarem cada vez mais drivers para Linux. Por isso quantos mais utilizadores usarem Linux, mais os fabricantes vão se ver forçados a desenvolver drivers para linux, é tudo uma questão de mercado.

  • Carlos

    A continuidade está nos fabricantes de hardware disponibilizarem cada vez mais drivers para Linux. Por isso quantos mais utilizadores usarem Linux, mais os fabricantes vão se ver forçados a desenvolver drivers para linux, é tudo uma questão de mercado.

  • flaviomoraesjr

    Quem leu o livro “LInux só por Prazer” sabe que o Linus fez algo para ajudar o avo dele e a sí próprio dentro das necessidades que ele tinha como usuário. Nesse livro fica claro o Linus não se importa com o que via acontecer com o Linux. Linus acredita que onde houver necessidade alguém irá desenvolver algo e se houver “morte” é porque não souberam aproveitar. Essa choradeira por causa do cadaver é realmente culpa da vaidade intelectual daqueles que não se uniram em objetivo comum. A idéia é boa, porém, estamos aquém. Acho que até 3079, conseguiremos, como humanidade (todos), o que significa ser livre de verdade. Isso rima com “livre de vaidade”. Liberdade parte de dentro, são virtudes.

  • flaviomoraesjr

    Quem leu o livro “LInux só por Prazer” sabe que o Linus fez algo para ajudar o avo dele e a sí próprio dentro das necessidades que ele tinha como usuário. Nesse livro fica claro o Linus não se importa com o que via acontecer com o Linux. Linus acredita que onde houver necessidade alguém irá desenvolver algo e se houver “morte” é porque não souberam aproveitar. Essa choradeira por causa do cadaver é realmente culpa da vaidade intelectual daqueles que não se uniram em objetivo comum. A idéia é boa, porém, estamos aquém. Acho que até 3079, conseguiremos, como humanidade (todos), o que significa ser livre de verdade. Isso rima com “livre de vaidade”. Liberdade parte de dentro, são virtudes.

  • Rogerio Souza

    A leitura do artigo estava muito boa até o ponto onde Neliton alfinetou:
    (…)
    Por mais ridículo que pareça ouvir isso de uma pessoa que poderia evitar
    esse problema de várias maneiras, ainda mais sendo um desenvolvedor, só
    lamento. Espero que ele seja muito feliz com seu iPhone e que se
    realize no mundo branquinho da maçã e que, assim, pare de dar opinião
    sobre o mundo com base no que acontece no seu umbigo.
    (…)

    O Linux DeskTop não morreu não. Já está morto e só falta mesmo enterrar.

    Só é utilizado mesmo por cobras e gênios do mundo TI.

    O Linux é indiscutivelmente o melhor, em todos os sentidos, e em quaisquer plataformas, seja como desktop ou server.

    Porém é uma imensa pena ele não ter decolado no gosto dos usuários comuns. Por quê? Porque é difícil pacas.

    O Neliton no trecho que destaquei acima se esquece que independentemente de ser um usuário oreia, ou mesmo um DESENVOLVEDOR, há uma colossal diferença, quando o ambiente operacional é complicado, entre precisar instalar algo (ou consertar/ajustar) em até 02 minutos, ##### e o gritante absurdo de se levar de 02 horas ou até 20 horas para se alcançar o intento, quando se consegue! #####.

    O usuário (pagante ou não por algo) não é otário. Ele almeja NEXT, NEXT, NEXT e FINISH.

    “Poderia evitar esse problema de várias maneiras” no trecho acima se esquece obviamente do contexto dos usuários que não sabem nem para onde os seus narizes apontam. Quer dizer que o usuário precisar ter um doutorado de Terminal ou ler trocentas páginas de resolução de pendências dos pacotes para se conseguir algo que levaria nem 20 segundos?

    Os usuários necessitam de programas, e não de como funciona ou é revestido um SO.

  • Rogerio Souza

    A leitura do artigo estava muito boa até o ponto onde Neliton alfinetou:
    (…)
    Por mais ridículo que pareça ouvir isso de uma pessoa que poderia evitar
    esse problema de várias maneiras, ainda mais sendo um desenvolvedor, só
    lamento. Espero que ele seja muito feliz com seu iPhone e que se
    realize no mundo branquinho da maçã e que, assim, pare de dar opinião
    sobre o mundo com base no que acontece no seu umbigo.
    (…)

    O Linux DeskTop não morreu não. Já está morto e só falta mesmo enterrar.

    Só é utilizado mesmo por cobras e gênios do mundo TI.

    O Linux é indiscutivelmente o melhor, em todos os sentidos, e em quaisquer plataformas, seja como desktop ou server.

    Porém é uma imensa pena ele não ter decolado no gosto dos usuários comuns. Por quê? Porque é difícil pacas.

    O Neliton no trecho que destaquei acima se esquece que independentemente de ser um usuário oreia, ou mesmo um DESENVOLVEDOR, há uma colossal diferença, quando o ambiente operacional é complicado, entre precisar instalar algo (ou consertar/ajustar) em até 02 minutos, ##### e o gritante absurdo de se levar de 02 horas ou até 20 horas para se alcançar o intento, quando se consegue! #####.

    O usuário (pagante ou não por algo) não é otário. Ele almeja NEXT, NEXT, NEXT e FINISH.

    “Poderia evitar esse problema de várias maneiras” no trecho acima se esquece obviamente do contexto dos usuários que não sabem nem para onde os seus narizes apontam. Quer dizer que o usuário precisar ter um doutorado de Terminal ou ler trocentas páginas de resolução de pendências dos pacotes para se conseguir algo que levaria nem 20 segundos?

    Os usuários necessitam de programas, e não de como funciona ou é revestido um SO.

  • Antonio Caser

    Depois que surgiu o Ubuntu com a barra unity que fica “agarrada” do lado esquerdo que para mudá-la de posição tem que fazer gambiarra e também obrigando o usuário a fazer mais “gambiarras” para criar um simples ícone na área de trabalho, isso me desanimou. Tinha o Ubuntu como referência, mas hoje com o Windows 8 por apenas R$ 69,00 está me fazendo mudar de ideia.

    Porque essa imposição?

    Um sistema operacional tem que ter praticidade e mobilidade, coisas que pouco existe no Linux, o Ubuntu que era o melhorzinho está deixando a desejar. É como disse um conhecido, “o Linux foi feito por nerds para nerds”, infelizmente o cara tem razão.

    O Linux tem 22 anos e não “decola” não “emplaca”; porque será?

    A minha queixa contra o Linux são os intermináveis comandos via terminal, deveriam eliminar essa ferramenta, e criar alternativas mais simples, porque esses milhares de comandos ninguém merece, só os nerds.

    Abraços.

  • Antonio Caser

    Depois que surgiu o Ubuntu com a barra unity que fica “agarrada” do lado esquerdo que para mudá-la de posição tem que fazer gambiarra e também obrigando o usuário a fazer mais “gambiarras” para criar um simples ícone na área de trabalho, isso me desanimou. Tinha o Ubuntu como referência, mas hoje com o Windows 8 por apenas R$ 69,00 está me fazendo mudar de ideia.

    Porque essa imposição?

    Um sistema operacional tem que ter praticidade e mobilidade, coisas que pouco existe no Linux, o Ubuntu que era o melhorzinho está deixando a desejar. É como disse um conhecido, “o Linux foi feito por nerds para nerds”, infelizmente o cara tem razão.

    O Linux tem 22 anos e não “decola” não “emplaca”; porque será?

    A minha queixa contra o Linux são os intermináveis comandos via terminal, deveriam eliminar essa ferramenta, e criar alternativas mais simples, porque esses milhares de comandos ninguém merece, só os nerds.

    Abraços.

  • Erika da Silva

    Estou muito feliz com meu Ubuntu 12.10 com cara de novo, e tudo funciona bem, só o microfone interno e o bluetooth que nunca funcionaram nem com o Windows, no inicio. Meu pcé velhinho é um ACER “chaleira”, mas é o que tenho e amo. Com UBUNTU. Agora acho que realmente as distribuições que vem das lojas são fracas e deviam ser melhoradas, quando mostro meu pc para as pessoas elas nem acreditam que se trata de software livre. É falta de informação mesmo. Linux é pra quem tem interesse pelo conhecimento e gosta de fazer por si mesmo, “é pra quem faz o pão e não compra pronto, reclamando da panificadora quando vem queimado.”

  • Fabio Luis Sepe Guaraldo

    Quanto mais eu uso o Ubuntu como Desktop mais eu amo o Windows. O pessoal do linux devia se preocupar mais com a parte de servidores em que o linux é top e largar mão da parte de Desktop.

  • kraftwerk

    Eu tenho rede com 16 máquinas , todas com ubuntu LTS, já a mais de 8 anos.

    Afirmo que o desktop atingiu maturidade superior ao do windows, desde que a era XP. Todos os meus funcionários tiveram facilidade em migrar para o desktop ubuntu.

    Faz 4 anos que não sei mais o que é problema de driver.

    Faz 10 anos que não sei mais o que é antivírus, nem malditos alertas de risco de segurança, nem tela azul da morte.

    Faz 8 anos que o meu navegador não é mais alterado automaticamente para usar o Bing, boing, winamp, qualquer coisa, sem o meu consentimento.

    Não tenho saudade nenhuma dos 2 GB do service pack de uma das versões de win que vi, que ficam lá ocupando espaço , irremovível, por causa de uma ferramenta do governo a qual fui obrigado a comprar um notebook com win oficial para funcionar.

    Hoje a maioria das ferramentas do governo estão migradas para java, estou feliz.

    Comprei um notebook samsung, processador intel i3 com win8. Lento que dói.

    Instalei ubuntu 12.04, e continuou rápido nesta mesma máquina, mesmo com win 8 instalado. Não entendo e nem quero entender porque isso acontece.

    E tem mais: Nosso povo paga R$ para um S.O. aberto a riscos, ainda tem que comprar antivírus, e não reclama. E pior, instala numa máquina barrela, com chipsets muiiito baratos, fica tão lento, que tem que voltar a versão anterior. Dai resolve testar linux, e reclama, sem estar atento a esses detalhes.

    É engraçado reclamar de um sistema de qualidade superior, leve, rápido, e que é de GRAÇA ! Faça uma doação pelo menos. Imagina se cada um que usa doasse R$ 20,00, o quanto o linux Ubuntu cresceria?

    Sabe o que é isso? “- Quando é de graça, eu não dou o devido valor”

  • Lucilâneo Santos

    “Quanto mais eu uso o Ubuntu , mais eu uso Ubuntu”.
    Linux estar vivo ,só ver quem não quer!!!!

  • jorge alfredo

    Infelizmente o linux esta morto. só que ele ainda não sabe. A maioria dos usuários buscam comodidade e simplicidade coisa que o linux não tem, instalar um único programa as vezes pode se torna uma verdadeira guerra e isso e foda eu mesmo já travei varias guerras para deixar o meu linux do jeito que eu queria já instalei e já usei uns dez linux e todos deixam a desejar e tudo muito complicado em relação a concorrência. talvez seja isto que falta para linux, “concorrência”.

    • Eduardo

      Estranha essa estória. Cada vez vejo mais gente usando Linux e achando mais simples, especialmente pessoas com pouco conhecimento de informática, incluindo crianças e idosos. Ontem mesmo uma pessoa idosa me contou que foi a uma lan house e teve dificuldades de fazer o que queria porque eles tinham apenas máquinas com Windows, mais difícil de usar, segundo ela. E um dos pontos fortes na simplicidade de uso do Linux é justamente a instalação e desinstalação de programas…

  • Paulo Roberto

    Como o linux é gratuito e, por isso, o seu desenvolvimento não é focado nas facilidades oferecidas pelos sistemas proprietários.

    Acho que o linux é para usuários avançados, afinal de graça e fácil é querer demais.

    Melhor “piratear” e tornar-se um fugitivo cibernético.

    Acho que o linux nunca vai morrer, pois é um excelente sistema que teve a maioria de suas idéias copiada pela Microsoft.

    Para entender isso, você tem que voltar ao windows 95 e XP com sua janelas sólidas enquanto no linux, eram transparentes.

  • fduncan

    Sou usuário Ubuntu a 6 anos.

    Minha irmã e meu cunhado, leigos na área, sempre utilizaram Windows. A mais ou menos 7 meses minha irmã me solicitou que arrumasse o computador dela pois estava lento e com vírus. Ofereci o Ubuntu e ela aceitou.

    Depois de 6 meses, meu cunhado comprou um ultrabook com Windows 8 e quase me implorou para que eu colocasse o Ubuntu e retirasse o Windows.
    Na minha opinião, se os leigos tivessem a oportunidade de experimentar um Linux bem configurado para as suas necessidades, não iriam querer saber de outra coisa.
    É a questão do Marketing, comentada no artigo.
    Gosto do Linux, divulgo o mesmo no meu ciclo de amizade e tenho presenciado cada vez mais a sua adesão.

  • Pedro miranda Sanches

    Não está morrendo; mas os programadores devem olhar mais para os aplicativos do linux (e jogos ainda muito), o linux vai realmente morrer. Acontece que o Unity (interface do Ubuntu) é All-in-One, o que suporta apps de todas as interfaces do próprio Linux. O celular com o Ubuntu instalado fracassou, mas o desenvolvimento não para por aí. Ainda estão fazendo o Ubuntu, é um desenvolvimento infinito, uma versão a cada 6 meses. E o próprio ubuntu para celulares também, o Ubuntu Touch.

    Se o mundo inteiro usasse linux, o Bill Gates seria uma pessoa normal, com vida normal e trabalho normal. E o cara que criou a Apple também, a mesma coisa que o
    Bill seria. Mas o sonho não foi realizado.

    Apesar de eu não usar linux, ainda penso nele.

  • orlando vasques

    o linux ta morrendo por que as pessoas que entende dele são idiotas a ponto de achar que sabem tudo, e tratam as pessoas que ainda não tem conhecimento como se fosse idiota.
    E quando alguém que esta começando faz uma pergunta os caras só faltam bater na gente.
    Enquanto isto o pessoal que trabalha com windows passam informação de boa e não ficam tratando as pessoas como se fosse idiota.!

    Obrigado

    • Jesus

      passei 8 anos usando windows, depois de um tempo passei usar dual boot windows e linux. Meu medo em migrar de vez para o ubuntu era aplicativos proprietarios que eu usava crackeado no windows. Tomei vergonha na cara e só uso linux e para cada aplicativo proprietário existe um levre igual ou até mesmo melhor. Linux morrendo? Para mim que morreu foi windows

  • Adirson Moraes

    Sou usuário e fã do Linux há muito tempo! Gostaria de vê-lo tomar conta dos Desktops !!
    Mas infelizmente acho que isso não será possível a curto prazo, mas o Linux não está morto.

    Concordo com vários motivos apresentados nos comentários tais como: A questão cultural, o aprendizado de novas ferramentas (aplicativos), excesso de
    distribuições, falta de padrões etc.

    No entanto o que realmente determinou o baixo o crescimento do Linux no Desktop foi a falta de aplicações corporativas básicas, desenvolvidas no Brasil
    e que atenda a nossa legislação. O Desktop se tornou popular primeiro nas empresas. Quando os preços dos equipamentos ficaram acessíveis as pessoas apenas escolheram utilizar uma ferramenta que já dominavam, no trabalho para executar as mais diveras tarefas em sua residência.

    As principais áreas que temos urgência em cobrir nas empresas com software executados sob o Linux (Livres ou não ) para entidades pequenas, médias ou
    grandes são as seguintes:

    a) Contabilidade – No Brasil além de registrar os fatos, fornecer um resultado para o empresário, a contabilidade é obrigada a executar uma enorme troca de informações com os entes públicos através de arquivos digitais SPEDs.

    b) Folha de Pagamento – No quesito da legislação trabalhista as particularidades são ainda maiores! Fundo de Garantia recolhido através do SEFIP, CAGED, DIRF, folha de pagamento de 13º Salário,

    só existem no Brasil e também ensejam troca de informações com entes do Governo anualmente, mensalmente, e em futuro próximo diariamente, através
    do eSOCIAL.

    c) Escrita Fiscal – Somos uma Federação! Ótimo! Não na escrita fiscal! Por este
    motivo temos uma legislação específica e diferente em cada um dos 27 (Vinte e Sete ) Estados. Atender a todos é uma tarrefa enorme, visto que as Leis são muito dinâmicas e sofrem muitas atualizações. A Nota Fiscal é eletrônica e as empresas também são obrigadas a forneceram dados digitais sobre suas operações em cada Estado da Federação.

    d) Financeiro – Nesta área precisamos de aplicativos para fazer controles como: Caixa, Fluxo de Caixa, Cheques, Contas a pagar etc, onde também há uma
    grande troca de informações, através de uso de sistema de pagamento e recebimento bancários.

    Enfim, poderia citar a falta de aplicativos para cada departamento de uma empresa: Vamos ficar apenas com os citados acima que são essenciais.

    Não conheço soluções desenvolvidas para executarem sob o Linux as tarefas mencionadas. Os aplicativos de ERP que operam em ambiente Linux foram desenvolvidos na EUROPA onde a realidade e outra, por exemplo: Adempiere,
    Compiere, OpenERP etc.. Não atendem a nossa legislação e não conseguem suprir nossas necessidades .

    Enquanto esta realidade não mudar não há que se falar em avanço do Linux nos desktops brasileiros.

    Não estou falando de Software Livre para executar tais tarefas e sim programas que funcionam no ambiente Linux, pois migrar apenas uma parte dos sistemas não é uma solução, para o Desktop Linux se popularizar, primeiro deve conquistar as empresas.

    Sou Contador e gostaria muito de contar com a segurança e a estabilidade do Linux em meu trabalho!! Em casa eu uso ambos, Win/linux, pois mais uma vez não
    tenho todas as soluções de que preciso no ambiente Linux.

  • Alex Sandro

    Para mim o único sistema operacional linux que presta de verdade é Android. o kernel linux funciona perfeitamente, porém as interfaces gráficas são o que tem de pior no sistema.

  • Fanboy da Apple

    Me poupe

Assine!

Quer receber as novidades mais recentes do Ubuntu na sua caixa de entrada? Informe seu e-mail e clique em Assinar.

  • Assine o feed RSS
  • Siga o Ubuntu-BR-SC no Twitter
  • Curta o Ubuntu-BR-SC no Facebook
  • Ubuntu-BR-SC no Google+
  • Canal do Ubuntu-BR-SC no YouTube

Mais comentados da semana

Posts recomendados